Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Era uma vez uma Princesa que vivia aprisionada.

– Aprisionada onde, mamã? Na torre de um castelo assombrado, vigiada por um dragão?

– Não, filha.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.