Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Sexta-feira passada, o Correio da Manhã destacou na capa a página do livro de Cristina Ferreira em que ela revela um episódio de assédio sexual no trabalho. O destaque, porém, era confuso. Primeiro, por causa da citação: “ele queria comer-me”; segundo, por causa da fotografia: uma imagem em que Cristina parece estar numa publicidade de iogurte (não esqueçamos que nas publicidades de iogurte, as mulheres estão sempre prestes a chegar ao orgasmo… porque, claro, o iogurte é óptimo). Ou seja, o jornal decidiu ilustrar uma história de assédio sexual com uma frase brejeira e uma foto ousada. E isso tem consequências, como as reacções à notícia provam.

O Correio da Manhã tinha outras opções. Podia ter recorrido ao outro lugar comum tablóidesco e utilizado uma foto de Cristina sem maquilhagem e vestindo leggings e uma camisola grande, de modo a que ela parecesse uma vítima. Ou podia ter colocado uma foto de Cristina em que ela não estivesse nem excitada nem triste, mas simplesmente normal. Mas não, optaram por uma foto que, para muita gente, só significava “ela estava mesmo a pedi-las”.

Se nós perguntássemos ao Correio da Manhã qual a sua intenção ao publicar esta história com este destaque, sem dúvida que o Correio da Manhã diria que estava a chamar a atenção para a praga do assédio sexual no lugar de trabalho, de que até as estrelas de televisão sofrem. E acrescentaria que é esse o seu dever como órgão de comunicação social.

Aceito que tivesse sido essa a intenção, mas o facto é que a foto e a citação contaram outra história, que acabou por tornar o artigo inútil – e até prejudicial – na campanha contra o assédio sexual no lugar de trabalho, ao permitir que muitos leitores e pessoas que viram a capa do Correio da Manhã nos quiosques dissessem: “mas o que é que ela estava à espera, a fazer estas poses provocantes?”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Se pensam que estou a exagerar, vejam as reacções nas caixas dos comentários do Facebook e de outros lugares. São vergonhosas, mas previsíveis. Eis uma seleção (entre centenas) do Facebook, na própria página do Correio da Manhã, onde leitores publicaram estes comentários com os seus nomes reais (não eram trolls, portanto):

“O problema é que uma grande parte das mulheres gostão (sic) de ser assediadas, e quando não são fazem tudo para isso, depois vem dizer que forão (sic) vitimas ate parese (sic) que não gostão (sic), por favor isto e so treta, ainda não disse que foi violada, tambem so falta isso.” (enfim, tudo sic).

“Uma peixeira destas na TV aposto que não ficaram só pela tentativa !… “

“é assim que elas ficam famosas, abrindo as pernas!!”

“MAIS UMA A FAZER-SE DE VITIMA….POR ISSO EU GOSTO TANTO DE MIM”

Qual é o espanto. ..O mundo dela é assim. …aguenta !

Não mostres tanto as cuecas …

“É, não aproveitou.?????”

“Ó CRISTNA só a querem seduzir porque você e uma mulher muito atrente ,o que naõ acontecia se gorda e feia.Qra bem”

“Tenta de tudo para vender o livro…vergonha.”

“SORTE TEVE ELA. QUAL E PROBLEMA???”

“Com esses olhinhos estás à espera de quê.”

“Sem assedio sexual,nemhuma de voces tem hipoteses de subir na carreira,nao conheco nenhuma jornalista feiosa,que trabalhe nas estacoes publicas,so isto diz tudo,troca de gajo e divorcios e todos os meses”

“Porca”

“Mulheres… E a sua demanda pelo assédio sexual :/ tristeza !!! Todas se queixam e queixam do mesmo, tem que começar a ter ideias novas e mais originais …”

É horrível, não é? É horrível que quando alguém conta um episódio como este, tanta gente tire as facas da liga. É horrível que muitos destes comentários tenham sido escritos por mulheres, mulheres que, presumo, nunca sofreram assédio (felicito-as por isso, mas não pela sua falta de imaginação), ou mulheres que acham que é feio contar porque elas nunca contaram, ou mulheres tão cheias de inveja por outra mulher estar numa posição melhor do que a delas que não conseguem conter o ódio e, sim, a misoginia (porque não são só os homens que são misóginos).

É horrível que essas reacções tenham sido provocadas pelo jornal mais vendido no país quando deu a entender na capa, fosse ou não essa a sua intenção (e quero acreditar que não tenha sido), que “a Cristina estava a pedi-las”.

E já agora, peço-vos que não leiam isto só para concluir: “ah, sim, os tablóides e os seus leitores!… É o povo que temos…” Não, não é o “povo”, nem são os “tablóides”. É toda a gente, e é em toda a parte. Porque isto acontece sempre que uma mulher levanta a cabeça acima do parapeito, e especialmente quando se atreve a denunciar um feio delito masculino.

Pense o que pensar da Cristina Ferreira — se fica confundido pela mistura da “miúda engraçada” na televisão de dia com as imagens altamente sensuais na sua revista, se a adora ou a odeia – tudo isso é irrelevante. O que o Correio da Manhã fez ao publicar esse artigo com essa fotografia foi vergonhoso e pouco diferente de um advogado ou juiz no tribunal a dizer a uma mulher que andava a “pedir para ser violada” por ter bebido uns copos ou estar vestida com pouca roupa. Essa mensagem foi colocada nos quiosques todos, a dizer a todos os que passavam: olhem, vejam como a Cristina andava a pedi-las! E se não acha que essa espécie de mensagem pode entrar nas mentes de toda a gente, e não “apenas” dos leitores do Correio da Manhã, então não percebe o efeito que têm em toda a gente a comunicação social e a publicidade, incluindo os anúncios de iogurte de pernas abertas.

Traduzido do original inglês pela autora. Lucy Pepper é autora do livro “Como não morrer de fome em Portugal” (Objectiva, 2016).

No, Cristina was not asking for it

This week’s Correio da Manhã cover in which they tell of a page in Cristina Ferreira’s book in which she recounts an episode of sexual harassment at work made a very confusing statement. It was in the quote that they used, “ele queria comer-me” (in Portuguese, comer is to eat, it is also to shag), and it was the photo that they used, the one of Cristina in one of her “yoghurt advert” poses (let us not forget that when a women eats a yoghurt in an advert, she looks like she about to climax, because yoghurt is THAT good). That is, the newspaper chose to illustrate a story of sexual harassment with a lewd quote and a sexy photo. And that has consequences, as the reactions prove.

They could have used the other tabloid trope of making her look like a victim by using a photo of her on day without makeup, wearing leggings and a baggy sweater. They could, god forbid, have used a photo of her looking neither horny nor sad, just normal. But no, they went for the “she was asking for it” photo.

I am sure that they would say that they are highlighting the continuing problem of sexual harassment in the workplace, and that it is a “bad thing”, and that it even happens to TV stars. They would say that to do so is their public duty as an organ of the press.

I’m sure it wasn’t at all intentional that the photograph and quote, of course, say something completely different, and the whole “news” piece was rendered meaningless, if not downright damaging to any fight against sexual harassment, by tacitly telling its readers, and everyone who passed the news stands that day, that Cristina was asking for it.

The reactions in comment box in facebook and elsewhere were predictable. Shameful and horrible, but predictable.

Here is a selection of comments from the facebook page of CM, comments that were posted by people using their real names (i.e. not trolls)

“The problem is that many women like to be harassed, and when they aren’t, they do everything to make it happen. Then they come and say that they were victims so that they look like they don’t like it. This is crap. She hasn’t said yet that she was raped, that’s all that’s missing.”

“A fishwife like that on the TV I bet it wasn’t just an “attempt”…!”

“that’s how they get famous, by opening their legs!!”

“ANOTHER ONE MAKING HERSELF A VICTIM… THAT’S WHY I LIKE MYSELF SO MUCH”

“Where’s the surprise… her world is like that… get used to it!”

“Don’t show your knickers so much…”

“What, she didn’t take advantage???”

“Oh CRISTNA, they only want to seduce you because you are a beautiful attractive woman, it wouldn’t happen if you were fat and ugly.”

“She’ll try anything to sell her book… what a disgrace”

“LUCKY HER. WHERE’S THE PROBLEM???”

“With those eyes, what do you expect?”

“Without sexual harassment none of you women have a chance of climbing up the career ladder. I don’t know of a single ugly woman journalist that works at any of the public TV stations. Just this says everything. The swap men, and divorces every month”

“Pig”

“Women, and their demand for sexual harassment. It’s sad!!! They all complain and complain of the same thing… they have to start thinking up some new more original ideas….”

Tiresome, isn’t it? Tiresome that when someone recounts an episode such as this the ugly comes out in people. Tiresome that many of these comments were made by women, women who presumably have never suffered any kind of sexual harassment (I am happy for them, but not for their lack of imagination) or who think that it is somehow unseemly to tell people about it because they never told anyone, or who are so wracked with envy that another woman is in a position better than theirs that their feelings come out in great misogynistic outpourings of hatred.

Tiresome that those views are vindicated by the biggest selling newspaper in the country because it said so on the cover: Cristina was asking for it.

Now, don’t be reading this thinking, “ah, yes, the tabloids and the tabloid readers, it’s just them”. No. It’s everyone and everywhere. It happens any time a woman puts her head above the parapet, especially if she is exposing some crappy trait in men.

Whatever you think of Cristina Ferreira, if you are confused by her daytime TV kooky girl mixed with the highly sexualized images in her own magazine, if you love her or if you can’t stand her, is irrelevant. What CM did by publishing that photo next to that story was shameful and not so different from a lawyer in a rape trial saying that a woman was asking for it because she was dressed in skimpy clothes and drunk. It was on all the news stands shouting at everyone walking past: Cristina was asking for it! And if you don’t think that that kind of message can get into everyone’s minds, not just buyers of CM, then you are missing a trick, and missing the effect that all mass media, including advertising and all its yoghurt commercials and crotch shots is having on you and on everyone else.