Exposições

Exposição quer promover exportações portuguesas para o Reino Unido

Uma exposição multissetorial com 3.000 metros quadrados em Londres pretende promover os vários setores industriais de Portugal, aproveitando que o país "está na moda", revelou a organização.

O evento, cujos expositores ainda não foram anunciados, pretende, atrair "empresas e negócios que pretendem importar e comercializar produtos portugueses

ESTELA SILVA/LUSA

Uma exposição multissetorial com 3.000 metros quadrados em Londres pretende promover os vários setores industriais de Portugal, aproveitando que o país “está na moda”, revelou a organização.

A Portugal International Expo 2017 está agendada para os dias 17 a 19 de novembro no centro de exposições ExCel, com um programa provisório que inclui palestras, seminários de gastronomia portuguesa, provas de vinhos, degustações de produtos e atuações de artistas.

Neste momento Portugal está na moda e devemos aproveitar esta vantagem para alavancar os esforços de promoção do melhor que o país tem”, refere na apresentação do evento a organização, a consultora PM Excel Group, da portuguesa Patrícia Marcelino.

O evento, cujos expositores ainda não foram anunciados, pretende, atrair “empresas e negócios que pretendem importar e comercializar produtos portugueses, respondendo dessa forma à crescente demanda que se verifica com o aumento exponencial de portugueses a emigrar para o Reino Unido, assim como pela curiosidade proveniente do facto de Portugal estar cada vez mais na moda”. O evento quer não só explorar o “mercado da saudade”, composto pelos portugueses residentes no estrangeiro, mas também chegar ao “crescente ‘mercado da curiosidade'”, formado pelos consumidores interessados por produtos étnicos.

Segundo estatísticas oficiais britânicas, desde 2012 registaram-se para trabalhar no Reino Unido 150 mil portugueses e só em 2015 estima-se que 2,5 milhões britânicos tenham visitado Portugal. Além dos setores agroalimentar e bebidas, estão previstos espaços para representantes das fileiras do Turismo, Imobiliário, Materiais de Construção, Mobiliário, Têxteis, Moda e Calçado e Serviços.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
CDS-PP

A moção e a censura de um país

José Pinto

A Constituição não limita o direito à censura por parte dos cidadãos. É a essa censura – e revolta indignada - que nenhum Governo pode fugir. Face à censura coletiva, a discussão da moção nada adianta

Incêndios

O fogo e o papel de Portugal

José Barbedo

Enquanto a ocorrência de fogos faz parte do ciclo natural das florestas, a escala dos incêndios que tem ocorrido ao longo das últimas duas décadas era totalmente desconhecida no passado.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site