Logo Observador
Fotogaleria

Fotogaleria: 10 heróis românticos (e altamente improváveis) da ficção

A escritora e colunista do Guardian, Jenny Colgan, elegeu o seu top 10 dos heróis românticos mais improváveis da ficção. Uma viagem por personagens inesperadas.

Jenny Colgan, do britânico The Guardian, elegeu o seu top 10 dos heróis românticos mais improváveis da ficção. Encontre-os nesta fotogaleria. Além de jornalista, Colgan é escritora de comédias românticas. Quando começou a escrever Spandex In the City, estava interessada em mostrar a perspetiva das pessoas que namoravam com super-heróis. Mas, rapidamente, percebeu que não havia um herói romântico em tudo, e às vezes estes são os mais improváveis.

Sair com um super-herói seria horrível. Eles trabalham durante a noite, são super intensos e constantemente distraídos. Oh, e poderias ser morto”, ironizava Colgan no seu artigo.

1. Jude, em A Little Life (Hanya Yanagihara)

“Ele é um homem ‘danificado’, geralmente um suicida. O seu sofrimento tranquilo, gentil e a sua proteção profunda daqueles que o rodeiam significam que você irá ficar com ele e chorar com ele, assim como os amigos de Jude”, declarou Colgan.

2. Zaphod Beeblebrox, em The Hitchhiker’s Guide to the Galaxy (Douglas Adams)

“Excitação, aventura e coisas realmente selvagens esperam a quem ficar com este personagem. Porém, a quantidade de ação que existiria depois de um par de Pan Galatic Gargle Blasters”, confessou a jornalista.

3. Christian Grey, na triologia The Fifty Shades (E.L James)

“Um maníaco repugnante, perseguidor e que compra coisas para mantê-la do seu lado. Não gosta de sexo repetitivo e a sua história já vendeu mais de 100 milhões de cópias”, escreveu a escritora.

4. Amit Chatterji, do livro A Suitable Boy (Vikram Seth)

É um advogado, poeta bonito, que escreve bonitos versos.

5. Dr Wilbur Larch, do livro The Cider House Rules (John Irving)

“Um homem com um passado romântico devastador, que faz o melhor para todos aqueles que conhece”, disse Colgan.

6. Don Pedro, em Much Ado About Nothing (William Shakespeare)

“Shakespeare, que gosta de emparelhar as personagens em histórias comédias, deixa Dom Pedro pendurado na parte traseira de um palco durante as celebrações de encerramento, muito embora este fosse gentil, razoável e hospitaleiro”, afirmou Colgan.

7. Guy Pringle, em The Fortunes of War (Olivia Manning)

“Ele lê tudo, pode declamar poemas com o coração, é incansavelmente generoso, fascinado por pessoas e ama toda a gente. É absolutamente irresistível para quase todos (menos para Harriet)”, declarou a escritora.

8. Boris, em The Goldfinc (Donna Tartt)

“Ele é também completamente irresístivel. Gosto de pensar que ele me chamaria de Jenchick”, confessou Colgan.

9. Professor Bhaer, em Little Women, (Louisa May Alcott)

“Eu tenho um certo carinho para o ‘feio’, ‘pobre, ‘tatty’. A sua paciência para as crianças e para a família, fâ-lo ser material para casamento”, disse Colgan.

10. Sirius Black, na saga Harry Potter (J.K Rowling)

“Todas as raparigas gostam de um ‘bad boy’. E se este heroicamente sacrificar a sua vida para o filho do seu melhor companheiro, isso só o torna mais sensual”, afirmou a jornalista.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt