Logo Observador
Lisboa

Lisboa apresenta plataforma de gestão inteligente de ocorrências

361

A Câmara de Lisboa apresenta esta sexta-feira a nova Plataforma de Gestão Inteligente da Cidade para gestão de ocorrências. A apresentação inicia-se pelas 18h e tem lugar nos Paços do Concelho.

De acordo com a autarquia, a plataforma "constituirá o suporte tecnológico do Centro Operacional Integrado, o qual permitirá dotar o município de Lisboa de ferramentas inovadoras"

MÁRIO CRUZ/LUSA

A Câmara de Lisboa apresenta, esta sexta-feira, a nova Plataforma de Gestão Inteligente da Cidade para gestão de ocorrências da proteção civil, bombeiros e polícia, com vista a “decisões operacionais e políticas eficientes” em casos de emergência.

De acordo com a autarquia, a plataforma “constituirá o suporte tecnológico do Centro Operacional Integrado (COI), o qual permitirá dotar o município de Lisboa de ferramentas inovadoras de gestão colaborativa de ocorrências e eventos entre a Proteção Civil, Bombeiros, Polícia Municipal e serviços operacionais da Câmara, integrando também a PSP e informação dos diversos operadores de infraestruturas da cidade”.

“Esta plataforma inteligente facilitará ao COI a tomada de decisões operacionais e políticas eficientes e coordenadas tanto na gestão corrente da cidade como na emergência”, nota o município, falando num “importante passo no processo de transformação digital”.

A Câmara de Lisboa frisa que em causa está ainda uma “mudança de paradigma que permitirá não apenas aos decisores e serviços municipais, mas também aos parceiros e cidadãos em geral, usufruírem de mais e melhor informação sobre a cidade, bem como disponibilizar aos empreendedores, estudantes, investigadores, empresas e demais interessados informação de qualidade em dados abertos”.

A apresentação inicia-se pelas 18h e decorre nos Paços do Concelho.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Livros

Por uma questão de sobrevivência

Luísa Graça, Paula Cristina Marques Silva, Maria Elisabete Lima, Maria Isabel de Magalhães Pacheco e outros

Este texto é mais do que uma carta aberta – é uma manifestação desesperada de milhares de microempresas que o Governo insiste em ignorar.