António Costa

“A realidade todos os dias desmente a narrativa da oposição”, diz António Costa

525

O secretário-geral do PS, António Costa, disse que "a realidade todos os dias desmente a narrativa da oposição" e apontou dados em campos como o défice e o crescimento económico

NUNO VEIGA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O secretário-geral do PS, António Costa, advogou hoje que “a realidade todos os dias desmente a narrativa da oposição” e apontou dados em campos como o défice, o crescimento económico ou a taxa de desemprego.

“A realidade é simples: este ano vamos ter o maior crescimento económico desde o princípio do século e o menor défice desde o princípio do nosso regime democrático. Factos são factos: há dois anos o desemprego estava acima dos 12% e agora está abaixo dos 9%”, sublinhou Costa, falando em Portalegre num comício do PS para apoio aos candidatos do partido no concelho nas autárquicas de 01 de outubro.

O também primeiro-ministro afirmou que o PS ainda está “a meio do caminho” a nível legislativo, num “ciclo de confiança a que tem de ser dada continuidade” nas eleições autárquicas do próximo domingo.

“Nós tivemos melhores resultados do que a direita teve”, prosseguiu o líder do PS e chefe do Governo, sublinhando que no próximo Orçamento do Estado continuará a haver reposição de rendimentos e um reforço da aposta na escola pública e no Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
António Costa

Pelos caminhos de Portugal

Paulo Tunhas
117

António Costa acha que “este ano foi particularmente saboroso para Portugal”. Houve, é verdade, os mortos dos fogos, houve Tancos, houve o caso da Raríssimas. Mas que importa isso?

IPSS

Raríssimas: o Estado é parte do problema

Rui Ramos

Mais do que por uma “vida de luxo”, a direcção da Raríssimas foi atraída por uma “vida de Estado”. Libertar a sociedade deste Estado gordo e promíscuo seria um meio de a libertar das piores tentações.

Governo

O país pequenino onde uma mão lava a outra

José Manuel Fernandes
1.141

A Raríssimas não é raríssima. Pior: se virmos como desde o topo do Governo a um pouco por todo o Estado há demasiados amigos e familiares, percebe-se que o exemplo até vem de cima. E ninguém estranha.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site