Igreja Católica

Novo bispo do Porto deverá ser conhecido este mês

D. António Francisco dos Santos morreu em setembro, vítima de um ataque cardíaco fulminante. O embaixador do Vaticano em Portugal já enviou para Roma a lista dos potenciais sucessores.

D. António Francisco dos Santos, antigo bispo do Porto, morreu em setembro

ESTELA SILVA/LUSA

O núncio apostólico (embaixador do Vaticano) em Portugal, Rino Passigato, já enviou para o Vaticano o documento com os nomes propostos para substituir D. António Francisco dos Santos como bispo do Porto, depois da morte súbita deste bispo em setembro do ano passado, vítima de um ataque cardíaco fulminante.

A carta já seguiu para a Congregação para os Bispos (órgão da Santa Sé responsável pelo processo de nomeação dos bispos) e tudo indica que o nome do novo bispo do Porto seja conhecido ainda este mês, admitiu ao Observador fonte próxima deste processo.

A notícia foi inicialmente avançada na manhã desta quarta-feira pelo jornal Público, que avançou também os três nomes que estarão na lista enviada pelo embaixador do Vaticano: D. Virgílio Antunes (bispo de Coimbra e antigo reitor do Santuário de Fátima); D. Manuel Linda (bispo das Forças Armadas), e D. António Augusto de Azevedo (bispo auxiliar do Porto).

D. António Francisco dos Santos morreu a 11 de setembro de 2017, aos 69 anos, na sequência de um ataque cardíaco fulminante. O bispo sentiu-se mal na manhã daquele dia e ainda foi socorrido pelo INEM, mas sem sucesso, acabando por morrer ainda na residência episcopal. O bispo auxiliar D. António Taipa assumiu as funções de administrador diocesano durante o período em que um novo bispo não é escolhido pelo Vaticano.

O primeiro passo na nomeação de um novo bispo compete ao núncio apostólico, que representa diplomaticamente o Vaticano em Portugal, que envia para a Congregação para os Bispos uma lista de potenciais candidatos à sucessão.

Dependendo da diocese para a qual se destina o novo bispo, e também ao número de bispos existentes no país, a lista pode ser composta por outros bispos (deixando lugares vagos noutras dioceses e obrigando à abertura de novos processos de substituição) ou então por padres que a Igreja portuguesa considera terem condições para ser nomeados bispos.

Para a diocese do Porto, uma das maiores do país, com mais de dois milhões de habitantes em 477 paróquias, deverá seguir um bispo experiente. Segundo sabe o Observador, os nomes revelados esta quarta-feira pelo jornal Público vão na linha do que têm sido as conversações internas sobre o sucessor de D. António Francisco dos Santos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jfgomes@observador.pt
Igreja Católica

Francisco, o Papa da discórdia

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
739

Graças a Deus, no nosso país não constam clérigos com relevância eclesial, ou presença significativa nos meios de comunicação social, que publicamente sejam críticos do Papa Francisco.

Debate

Desimportantizar os caraoqueiros

Paulo Tunhas

O pensamento-karaoke funciona como obstáculo a que se procure entender o que se passa à nossa volta. Os caraoqueiros estão-se, de resto, nas tintas. Só querem caraocar mais alto do que os outros.

Alimentação

A gula do sr. ministro

José Miguel Pinto dos Santos

Se a “alimentação saudável” é objetivo prioritário do Estado, porque é a medida restrita aos hospitais? Porque não proporcionar as suas vantagens também a todo o funcionalismo público e aos deputados?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site