Volkswagen

O “português” VW T-Roc em campanha emocional

“Nascido confiante”. Esta é o tema da campanha digital lançada pela Volkswagen, onde o SUV produzido em Portugal, na Autoeuropa, se encontra com a top model canadiana Winnie Harlow.

Winnie Harlow é uma modelo canadiana que sofre de uma rara doença de pele, denominada vitiligo, que leva as células a perder pigmentação. Mas nada disso impede a jovem, de 22 anos, de continuar a realizar o seu trabalho. E a prova é que Harlow surge agora numa campanha realizada pela Vice, em colaboração com a Volkswagen, em que o tema é “Nascido confiante”, onde a modelo tem o SUV T-Roc como companhia.

Segundo a responsável pelos conteúdos e comunicação digital da Volkswagen, Mirja Schneider, “Winnie Harlow personifica aquilo que o T-Roc representa: confiança e perseverança desde o início”. A nova campanha é baseada numa storytelling autêntica, e vai estar disponível numa série de formatos inovadores, destinados a novos públicos alvo, com a mensagem “personalidade inconfundível encontra inconfundível veículo”.

A campanha emocional tem como foco um filme de 72 segundos, durante os quais Harlow apresenta a sua peculiar biografia. Durante o vídeo, as características distintivas do T-Roc, que surge associado à modelo canadiana, desafiam os espectadores a experimentá-las, com “a” modelo e “o” modelo a serem apontados como exemplos não convencionais. O T-Roc surge igualmente num outro vídeo promocional, destinado prioritariamente ao mercado inglês, que pode ver aqui:

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote no primeiro concurso em Portugal dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carroVote agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eutanásia

Eutanásia: uma falsa compaixão

João Muñoz de Oliveira

Todos sabemos que a vida não nos pertence por completo: foi-nos dada pelos nossos pais como um dom, pelo que não temos domínio absoluto sobre ela. E este ponto reforça os argumentos contra a eutanásia

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site