A ilha japonesa de Nishinoshima quintuplicou o seu tamanho devido à lava de um vulcão que desde há seis meses expele lava, disse hoje a cadeia pública nipónica NHK.

Situada em pleno oceano Pacífico, 1000 quilómetros a sul de Tóquio, a ilha surgiu há dezenas de milhares de anos, quando parte de um vulcão submerso ficou à superfície, acabando por se tornar numa ilha. Como escreve a revista online Slate, na década de 70 uma série de erupções aumentou a dimensão desta massa de terra para cerca de 200 metros quadrados. Foi nessa altura que passou a chamar-se Nishinoshima.

Em novembro de 2013, 40 anos depois da última vez que um vulcão esteve ativo no Japão, houve novas erupções a sul de Nishinoshima. Uma segunda massa de terra acabou por emergir e tornar-se uma nova ilha, batizada de Nijima ou Shinto – duas formas de dizer ilha nova, em japonês, escreve o jornal El Mundo.

Mas o vulcão continuou em erupção e no último dia de 2013, a nova ilha cresceu de tal forma que acabou por se unir à antiga, Nishinoshima. Agora existe apenas uma ilha com 1200 metros quadrados. O vulcão continua a expelir lava e, tal como explicou um professor de geologia do Instituto Tecnológico de Tóquio, Kenji Nogami, citado pelo Mundo, a ilha vai continuar a expandir-se.

Ilha de Nishinoshima