A agência de notação financeira canadiana DBRS melhorou hoje a perspetiva sobre o rating de Portugal de negativa para estável, e manteve o rating em BBB (Low).

A decisão da agência de melhorar a perspetiva de Portugal deve-se, explicou a DBRS em comunicado, ao progresso que viu na redução do défice orçamental e na melhoria do saldo das contas externas, e ainda na almofada financeira construída para fazer face a dificuldades no mercado, que no final de 2013 atingia os 15,3 mil milhões de euros.

A agência diz ainda que o rating pode vir a subir caso a consolidação orçamental se venha a revelar sustentável e se o crescimento económico não frustrar as expetativas no médio-prazo.

Apesar das melhorias que vê nas contas públicas do país e nos fundamentais económicos, a agência alerta que existem riscos consideráveis, como é o caso dos elevados níveis de dívida pública e privada, uma grande incerteza em relação ao crescimento económico no médio prazo e a persistência de uma elevada taxa de desemprego.

Assim, o rating pode ser cortado caso se a economia crescer menos que o esperado pela agência e se o compromisso com a consolidação das contas públicas fraquejar, afetando a dinâmica da dívida pública no médio prazo.

Outra das ameaças para o rating de Portugal é a materialização de perdas associadas à dívida das empresas públicas, Parcerias Público-Privadas (PPP) ou a necessidade do Estado injetar dinheiro nos bancos para além dos 6,4 mil milhões de euros que ainda existem para o efeito do empréstimo da ‘troika’ a Portugal.

 

rating-portugues

 

DBRS melhorou as perspetivas para Portugal, mas ainda falta saber o que decidirão as restantes agências de “rating”.