Crises internas à parte, Passos Coelho e Mariano Rajoy encontram-se esta quarta-feira em Vidago, Chaves, para falarem dos problemas comuns. A XXVII Cimeira Ibérica, a terceira com Passos e Rajoy à cabeça, acontece num momento sensível para os dois países, com a abdicação do rei Juan Carlos, em Espanha, e com o chumbo do Tribunal Constitucional e a crise do PS, em Portugal.

Além dos dois chefes de Estado, o encontro juntará seis ministros de cada governo. Na agenda vão estar temas como o desenvolvimento das redes energéticas europeias, a estratégia da União Europeia para a promoção do crescimento económico e o combate ao desemprego, em particular o dos jovens, e o reforço da cooperação transfronteiriça em setores como a saúde e a proteção civil. Deverá ser, no entanto, uma cimeira curta, de apenas cinco horas.

Pela parte portuguesa, estarão presentes os ministros de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, Defesa Nacional, José Pedro Aguiar-Branco, Administração Interna, Miguel Macedo, Economia, Pires de Lima, Ambiente, Moreira da Silva, e Segurança Social, Mota Soares – e ainda cinco secretários de Estado: adjunto do primeiro-ministro, dos Assuntos Europeus, das Infraestruturas, do Emprego e adjunto do ministro da Saúde.

Ligações energéticas na mesa

O tema das conexões europeias, tanto energéticas – de eletricidade e gás – como ferroviárias, volta a estar no centro do encontro, sendo que neste caso o objetivo é avançar no calendário e definir já uma data para a implementação da ligação ferroviária entre o Atlântico e a Europa. A nível internacional a cimeira deverá expressar uma posição sobre a situação na Ucrânia.

Um dos temas em análise é também a questão dos serviços de saúde que existem próximos da fronteira, com o objetivo de permitir o uso transfronteiriço pleno dessas unidades de saúde. Mas para isso ainda há muito trabalho par fazer, pelo que será necessário avaliar as capacidades e as valências das unidades dos dois lados, definir o sistema de pagamentos dos dois governos e implementar alterações jurídicas, algumas das quais já previstas na legislação europeia.

Esta é a terceira cimeira luso-espanhola com Passos e Rajoy, mas os dois estiveram juntos não há muito tempo, em Lisboa, no dia da final da Liga dos Campeões, que coincidiu com a véspera das eleições europeias de 25 de maio.

As mudanças institucionais em curso na União Europeia, na sequência das eleições para o Parlamento Europeu, também deverão ser abordadas hoje pelos executivos de Portugal e de Espanha.

À margem desta reunião anual entre os dois governos, decorrerá, como habitualmente, um encontro empresarial bilateral, que contará com uma comitiva de apenas “quatro ou cinco empresários de cada lado”, escreve o Negócios. A Confederação Empresarial de Portugal (CIP) e a congénere espanhola CEOE estarão presentes

Portugal e Espanha devem acordar ainda uma “posição comum” sobre as interconexões energéticas europeias e avançar no calendário para a implementação da ligação ferroviária entre o Atlântico e a Europa.