Em Espanha Juan Carlos já não é Rei. No Rio de Janeiro a seleção espanhola foi eliminada do Mundial. Dia intenso.

Madrid não vive um clima de festa pela proclamação do novo monarca, Felipe VI. Há algumas bandeiras – poucas – colocadas em varandas e em postes nas avenidas. São pequenas e estão arranjas discretamente. Surge a pergunta: sempre aqui estiveram ou foram postas para quinta-feira?

[jwplatform Wllwb3T1]

No Palácio Cibeles foram estendidas duas grandes bandeiras vermelhas e amarelas. Turistas e madrilenos tiram fotografias à praça. Muitos dos espanhóis que passam não querem falar com jornalistas e quando lhes explicamos que queremos falar sobre a Monarquia e a proclamação de Felipe dizem que não com a cabeça ou com a mão, trocam olhares com a pessoa que os acompanha e partem. Alguns, em andamento, ainda acrescentam: “Tanto me faz” ou “Fui monárquica toda a vida. Não tenho mais a dizer”.

[jwplatform c0j8yZlX]

Quem fala – ainda que não para a câmara – lamenta a decoração modesta – a Monarquia não tem de envergonhar ninguém, dizem uns. Outros queriam que a festa fosse maior, mas parecem envergonhados também e por isso contentam-se.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

[jwplatform orV6b1lc]

Os mais jovens não se importam tanto de falar e, especialmente, de ser gravados. A maioria daqueles com quem falámos quer um referendo sobre a forma de Estado e acha que por mais discretas que sejam as celebrações serão sempre demasiado caras.

Na quinta-feira, depois de Juan Carlos colocar a faixa vermelha que torna Felipe capitão geral das Forças Armadas, o novo rei segue para o Congresso, onde pelas 10h30 será proclamado rei de Espanha. Após as primeiras palavras do monarca, Felipe VI e a rainha Letizia vão percorrer o centro de Madrid – passando pela rua de Alcalá, a Gran Via, a praça de Espanha, entre outras – e chegarão ao Palácio da Zarzuela antes da hora de almoço. Aí, Juan Carlos, Sofia, a princesa Leonor e a infanta Sofia vão juntar-se aos reis e saudar a população.

Os agentes policiais mobilizados para acompanhar o percurso real – cerca de 6000 – têm ordens para proibir a exibição de bandeiras ou de outros símbolos republicanos ao longo da viagem. As quatro manifestações republicanas convocadas para quinta-feira foram proibidas. No entanto, está marcada um protesto nas Portas do Sol que deverá começar por volta das 20h.