Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Banco Espírito Santo (BES) emitiu nesta quarta-feira um comunicado em que contraria os planos anunciados por José Maria Ricciardi para a unidade de banca de investimento do grupo. O documento é lacónico e refere que o BES “não está a apreciar nenhuma operação de alteração da estrutura acionista ou do capital da sua subsidiária Banco Espírito Santo de Investimento S.A., da qual detém 100% do capital”.

Numa declaração de 23 de junho, o presidente do BESI afirmou, na sequência da tentativa fracassada de assumir os destinos do BES para a qual contaria com a maioria dos membros do conselho superior do Grupo Espírito Santo (GES), poder “contribuir de forma mais incisiva para a estabilidade e valorização do Grupo” concentrando toda a “actividade no projecto de aumento de capital e consequente expansão do Banco de Investimento” que lidera.

No mesmo documento, José Maria Ricciardi anunciou a renúncia aos cargos que ocupava nos órgãos sociais de empresas do GES, incluindo na gestão do BES, para se dedicar “em exclusivo ao programa de futuro traçado pelo Banco Espírito Santo de Investimento, que já mereceu a adesão de princípio do Banco de Portugal”. De acordo com o Expresso, o líder do BESI estará a negociar com investidores árabes a concretização de um aumento de capital no valor de 600 milhões de euros. Na sequência da operação, o BES, atual detentor da totalidade das ações, baixaria a participação para 45%, os gestores ficariam com 10% e os investidores angariados por Ricciardi assegurariam os restantes 45%.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR