O aumento de capital do Banco Comercial Português (BCP) em aproximadamente 2,25 mil milhões euros foi totalmente subscrito, anunciou nesta terça-feira ao mercado o banco liderado por Nuno Amado. Em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o BCP informou que “a procura total registada no presente aumento de capital representou cerca de 125,6% do montante da oferta”.

O banco liderado por Nuno Amado adiantou que “foi totalmente subscrito o aumento de capital social, compreendendo a emissão de 34.487.542.355 ações ordinárias, escriturais e nominativas, sem valor nominal, com o valor de emissão e preço de subscrição unitário de 0,065 euros, que foram oferecidas à subscrição dos acionistas do banco”.

No exercício de direitos de subscrição, foram objeto de subscrição ações representativas de cerca de 98,8% do total de ações a emitir no âmbito da oferta, tendo ficado disponíveis para rateio 405.331.047 ações. “Os pedidos suplementares de ações sujeitos a rateio totalizaram 9.243.741.767 ações, excedendo cerca de 21,8 vezes a quantidade disponível para o efeito”, adiantou o banco no comunicado ao mercado.

A liquidação financeira das ações subscritas no exercício dos direitos de subscrição deverá ocorrer na quarta-feira e a liquidação financeira das ações atribuídas em rateio deverá ocorrer no dia seguinte. A 24 de junho, o BCP anunciou o aumento do seu capital social em aproximadamente 2.250 milhões euros, através de uma Oferta Pública de Subscrição (OPS).

As receitas da OPS devem ser afetadas ao reembolso dos instrumentos de capital híbrido (CoCo bonds) subscritos pelo Estado no montante de 1.850 milhões euros, deixando 750 milhões euros por reembolsar, o que o BCP tenciona fazer até ao início de 2016, estando sujeito a aprovação regulatória.