Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Duas pessoas morreram esta segunda-feira, em Jerusalém, após uma retroescavadora atropelar “deliberadamente” um homem e fazer tombar um autocarro no centro da cidade. A embaixada israelita em Portugal, em comunicado, considerou ter-se tratado de um “ato terrorista”. Pouco depois do incidente, o condutor do veículo foi morto a tiro pela polícia local.

A retroescavadora atropelou o homem, de 25 anos, quando este corria em direção a uma paragem de autocarros na rua Shmuel Hanavi. Após o atingir, o condutor do veículo tentou fazer tombar um autocarro. Quando o conseguiu, escreveu o diário Times of Israel, embateu repetidamente com a pá mecânica do veículo de passageiros, até ser atingido a tiro por alguns elementos da polícia israelita que, entretanto, chegariam ao local.

https://www.youtube.com/watch?v=PlwrCUDfFe4
Um vídeo do incidente, filmado, ao que parece, com um telemóvel, foi publicado no YouTube.

Seis pessoas, incluindo o condutor do autocarro, ficaram feridas. O condutor da retroescavadora, avançou o Times of Israel, tinha 19 anos e era natural de Jabel Mukaber, bairro árabe localizado na parte Este de Jerusalém — zona onde, horas depois, um homem atingiu a tiro um soldado israelita enquanto conduzia uma mota.

O militar, de 20 anos, foi transportado para um hospital de Jerusalém. A embaixada de Israel em Portugal classificou o incidente como um ataque terrorista, enquanto Yossi Pariente, chefe da polícia israelita, sublinhou que, “muito provavelmente”, foi esse o caso. Ambos os ataques aconteceram no dia em que um cessar-fogo vigorou na Faixa de Gaza, entre as 10h e as 17h.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR