Duas culturas, duas cozinhas e uma viagem. O novo filme de Lasse Hallström, realizador de Chocolate, chega esta quinta-feira às salas de cinema do país: A Viagem dos cem passos traz ao grande ecrã uma história sobre gastronomia, paixão e interculturalidade, e é baseado no best-seller internacional de Richard C. Morais (2010). A longa-metragem conta com a presença da atriz Helen Mirren, o que já é um bom motivo para sair de casa. O enredo fica completo com Om Puri, Manish Dayal e Charlotte Le Bon.

Tudo começa com a chegada de uma família indiana à aldeia de Lumière, no sul de França, onde os Kadam montam o próprio restaurante. O Maison Mumbai, dedicado aos sabores da terra natal, é erguido à frente de um outro restaurante, Le Saule Pleurer, de comida clássica e galardoado com uma estrela Michelin. E o que separa um do outro? Cem passos, mais coisa menos coisa. A distância curta simboliza uma viagem, durante a qual as personagens vão cruzar territórios desconhecidos em prol de novas aventuras e, inclusive, da auto-descoberta.

A proximidade entre ambos os negócios e o choque cultural são os ingredientes explosivos em torno dos quais gira o filme. Assim começa a “guerra” entre a impiedosa proprietária francesa, Madame Mallory (Helen Mirren), e os novos vizinhos. Mas são as paixões de um dos filhos da família indiana, Hassan Kadam (Manish Dayal), tanto pela cozinha francesa como pela sous chef  Marguerite, que vão permitir uma união entre os sabores do ocidente e do oriente.

Planos fechados, que mostram a preparação de refeições, e a forma como a comida pode mudar a vida de uma pessoa são elementos que ajudam a descrever a película. Uma comédia gastronómica que conta com Steven Spielberg e Oprah Winfrey na equipa de produção, e cujo argumento está a cargo de Steven Knight.

[jwplatform K1eMTs34]