Estradas de Portugal

Opway apresentou caução e assegurou obra poente ao Túnel do Marão

Opway Engenharia ganhou o concurso para as obras do acesso poente ao Túnel do Marão, cuja construção está parada há três anos.

Obra, inserida na autoestrada que vai ligar Vila Real a Amarante, foi adjudicada por 29,5 milhões de euros

ESTELA SILVA/LUSA

A Estradas de Portugal (EP) confirmou nesta quarta-feira que a construtora Opway, do Grupo Espírito Santo (GES), apresentou “uma caução” por “depósito em dinheiro” que permite assegurar a construção do acesso poente ao Túnel do Marão. A Opway Engenharia ganhou o concurso para a realização das obras do acesso poente ao Túnel do Marão, que dizem respeito a 10 quilómetros da Autoestrada do Marão, cuja construção está parada há três anos.

A obra, inserida na autoestrada que vai ligar Vila Real a Amarante, foi adjudicada por 29,5 milhões de euros. Fonte da EP disse hoje à agência Lusa que, “perante os factos relevantes entretanto surgidos sobre o grupo empresarial onde se integrava a empresa vencedora, a EP, no mais curto prazo que a lei lhe permite, solicitou alguns documentos complementares que foram entregues dentro do prazo legal”.

A Opway terá visto a garantia bancária cedida pelo antigo Banco Espírito Santo (BES) perder valor, pelo que teve que apresentar novas garantias bancárias até terça-feira. A caução, segundo a EP, “foi prestada por depósito em dinheiro e os documentos estão agora a ser analisados”. De acordo com a edição do Correio da Manhã de hoje, a empresa “assegurou à última hora uma garantia de 1,5 milhões de euros, travando passagem da obra” para o consórcio que ficou em segundo lugar no concurso, a Dragados.

O presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, afirmou à Lusa que “já basta de atrasos” na construção desta autoestrada que é reivindicada há muitos anos. “Espero que tudo se resolva o mais depressa possível”, salientou.

Para a execução do empreendimento do Túnel do Marão a EP decidiu não englobar toda a obra num único concurso, tendo optado pelo lançamento, em fevereiro, de três concursos públicos internacionais para a construção do acesso poente, do acesso nascente e de execução do Túnel. Esta decisão, segundo a empresa, teve como objetivo “incrementar o potencial de concorrência de modo a reduzir o nível de risco e garantir um menor custo público”.

A EP referiu que os “processos de concurso têm decorrido com exemplar rapidez, de forma a assegurar a realização da obra até final de 2015 otimizando assim o necessário financiamento comunitário”. A empreitada para a construção do sublanço de ligação do Túnel do Marão a Parada de Cunhos foi adjudicada em julho ao consórcio Ferrovial Agroman e Lena Engenharia e Construções, tendo o respetivo contrato sido de imediato enviado para Tribunal de Contas para obtenção de visto prévio.

A obra de conceção/construção do Túnel foi entregue ao consórcio Teixeira Duarte e EPOS tendo o respetivo contrato também já sido remetido para o Tribunal de Contas. Estas adjudicações representam um investimento total de 146,4 milhões de euros o que representa uma poupança de 57,6 milhões de euros face às estimativas iniciais. A EP prevê que o início das obras ocorra no mês de setembro.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)