O líder supremo do Irão, Ayatollah Khamenei, aprovou uma operação em conjunto com os Estados Unidos da América contra a campanha do Estado Islâmico do Iraque e do Levante no norte do Iraque, noticia a BBC.

Os xiitas no Irão consideram que os jihadistas do Estado Islâmico – organização que considera os xiitas ‘infiéis’ – são uma ameaça grave à “estabilidade” no Médio Oriente. Trata-se de uma cedência rara da parte do Irão, sendo que o país mantém relações diplomáticas tensas com os EUA e sempre foi contra a intervenção americana no Iraque.

Contudo, no mês passado, os bombardeamentos americanos ajudaram as milícias xiitas iranianas e as forças curdas a romper o cerco de dois meses da cidade de Amerli, no norte do Iraque.

Antes deste acordo, Ayatollah Khamenei tinha-se pronunciado contra qualquer interferência no Iraque, inclusive criticando os EUA. Agora, isso parece ter mudado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo a BBC, o líder supremo do Irão autorizou Ghassem Soleimani, comandante da força militar Quds – uma ramificação da guarda revolucionária – a cooperar com qualquer força militar que esteja a combater o Estado Islâmico, incluindo as dos EUA. Nos últimos meses, Soleimani esteve em colaboração com o governo iraquiano a ajudar na defesa de Bagdade.