A China e o Vietname acordaram, durante um encontro bilateral, retomar as relações militares e resolver as disputas marítimas, num primeiro sinal com vista ao aliviar da tensão, informa hoje o jornal South China Morning Post.

“Tanto a China como o Vietname devem manter as suas tropas sob controlo e abster-se de fazer algo passível de afetar a situação em geral”, disse o vice-presidente da Comissão Militar Central, Fan Changlong, ao ministro da Defesa vietnamita, Phung Quang Thanh, durante um encontro, realizado este sábado, em Pequim.

Fan Changlong sublinhou que “é do interesse de ambos darem-se bem e gerir as suas diferenças de forma adequada”.

Phung Quang Thanh também se reuniu na capital chinesa com o seu homólogo Chang Wanquan e com o vice-presidente Li Yuanchao na sexta-feira.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Analistas consideram que um encontro de tal nível mostra a vontade de ambos em prevenir um potencial conflito militar, enquanto a China aproveitou o momento para persuadir Hanói a não aproximar a sua posição da de países como os Estados Unidos relativamente ao diferendo territorial que mantém com Pequim.

“Um bom vizinho é melhor do que um bom irmão à distância”, disse Fan a Chang.

A reunião ocorre semanas depois de os Estados Unidos terem anunciado o levantamento parcial do embargo de armas ao Vietname, no início do mês, o que despertou suspeitas por parte da China, após meses de intensas tensões com o país vizinho.

Em maio, a China instalou uma plataforma petrolífera em águas próximas das ilhas disputadas desencadeando várias tentativas de navios vietnamitas de impedir a construção, os quais foram, mais tarde, repelidos por embarcações chinesas.

Este conflito foi acompanhado por várias manifestações anti-China em diversas cidades vietnamitas, onde foram atacadas empresas ou negócios com capital chinês e morreram pelo menos quatro pessoas.

Apesar de a China ter retirado a plataforma, anunciou, este mês, ter terminado a construção do maior aeroporto das Paracel, uma instalação civil e militar na ilha Woody, que a China designa de Yongxing.

No total, a segunda economia mundial tem sete projetos de construção nas ilhas Paracel e Spratly, dos quais cinco aprovados durante a administração de Xi Jinping, no poder desde 2013.

O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, encontrou-se na passada quinta-feira com o seu homólogo vietnamita, Nguyen Tan Dung, por ocasião da cimeira anual Ásia-Europa (ASEM), em Milão, tendo ambos acordado limar arestas de forma a manter as relações bilaterais “no bom caminho”.