Elinor Glyn, uma socialite e escritora, definiu a expressão “it” como sendo alguém que detém um estranho magnetismo capaz de atrair ambos os sexos. Tal implica atração física mas não exige a presença de beleza. O Telegraph decidiu reunir um conjunto de “it girls” que já marcaram presença ao longo da história e definiram modas e tendências: desde a mítica Helena de Tróia à então rainha de França Marie Antoinette, passando ainda pelas incontornáveis Alexa Chung e Cara Delevingne.