O ex-presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Isaltino Morais, esteve esta sexta-feira numa sessão pública de apresentação do Partido Democrático Republicano, liderado por António Marinho e Pinto, numa das bibliotecas daquele município.

Isaltino chegou à sessão “muito depois de ter começado, esteve lá uns minutos e saiu muito antes de ter terminado”, confirmou ao Observador Marinho e Pinto, que nem chegou a cumprimentar o ex-autarca. E até teve pena. “Falaria com ele normalmente, não tem o vírus do ébola”, comenta o ex-bastonário da Ordem dos Advogados, conhecido pelas suas posições fortes contra a corrupção.

“Tenho muitos problemas em falar com algumas pessoas que nunca estiveram presas e deviam estar”, acrescentou, referindo que Isaltino “teve um problema com a Justiça”, mas agora “já teve o seu pagamento”, pelo que não teria problemas em conversar com o ex-presidente da autarquia oeirense.

Uma das pessoas que assistiu à sessão, que teve lugar na Biblioteca Municipal de Oeiras, contou ao Observador que Isaltino esteve pouco tempo na sala onde decorria a palestra mas ainda aplaudiu uma parte do discurso de Marinho e Pinto, que se fez acompanhar pelos membros fundadores do Partido Democrático Republicano.

Ao longo de hora e meia, o líder partidário discursou sobre o estado da Justiça portuguesa, a sua experiência no Parlamento Europeu e ainda a necessidade de combate à corrupção em Portugal. No fim, Marinho e Pinto ainda respondeu às perguntas do público.

Isaltino Morais foi libertado da prisão em junho e está atualmente a cumprir pena em liberdade condicional por fraude fiscal e branqueamento de capitais. Marinho e Pinto esteve este sábado nos concelhos da Amadora e Loures em mais sessões de apresentação do seu novo partido.