Exploração Espacial

Google arrenda aeródromo da Nasa para se lançar na exploração espacial

A empresa fundada por Larry Page e Sergey Brin arrendou um aeródromo da Nasa por 60 anos, para desenvolver projetos de exploração espacial. O acordo prevê um investimento de 200 milhões de dólares.

A Google chegou a acordo com a Nasa para arrendar, durante 60 anos, um aeródromo da agência espacial norte-americana. O objetivo da empresa, que começou por ser apenas um motor de pesquisa, é aí desenvolver pesquisas nas áreas da exploração espacial e da construção de veículos capazes de navegar noutros planetas.

O contrato, anunciado esta segunda-feira pela Nasa, prevê uma renda total de 1,16 mil milhões de dólares e um investimento de 200 milhões de dólares para renovar as instalações do aeródromo de Moffett, incluindo o Hangar One – uma estrutura gigante construída sobre um conjunto de vigas de aço revestidos com aço galvanizado e que se tornou um monumento histórico na região. O hangar foi criado durante a Grande Depressão para acomodar o dirigível USS Macon e ocupa uma área de mais de 32 mil metros quadrados.

A Nasa, que com este acordo vai conseguir poupar 6,3 milhões de dólares por ano em custos operacionais, revelou que as instalações vão ser usadas para a “investigação, o desenvolvimento, a montagem e testes nas áreas de exploração espacial, aviação, robótica e outras tecnologias emergentes”.

Tudo aponta para que a Google esteja a virar as suas atenções para o espaço, depois de ter construído um império na área da informática. A empresa fundada por Larry Page e Sergey Brin está neste momento a oferecer um financiamento de 20 milhões de dólares para qualquer missão privada que se disponha, até ao final de 2015, a pousar um robô na Lua, que consiga viajar 500 metros em solo lunar, captar e enviar imagens para o planeta Terra.

Apesar deste investimento, ainda não se conhece qualquer plano para um eventual projeto autónomo de exploração espacial, mas no futuro a Google pode vir deixar a sua pegada no espaço.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)