Polícias de 45 países detiveram 118 pessoas numa operação contra a compra de bilhetes de avião através de cartões de crédito roubados ou falsificados, indústria criminal no valor de mil milhões de dólares anuais, anunciou a Europol.

A operação “Global Airport Action” realizou-se em 80 aeroportos e foi coordenada a partir das sedes do Serviço Europeu de Polícia (Europol) em Haia, da Interpol em Singapura e da Ameripol em Bogotá.

De Manila e Londres, equipas de polícias detiveram nas filas de embarque ou à chegada suspeitos de terem utilizado cartões de crédito ilegais para comprar bilhetes de avião, disse à agência France Presse o diretor da Europol, Rob Wainwright, sublinhando as dificuldades relacionadas com a rapidez das transações e o seu enorme número.

Para a indústria da aviação, trata-se de “fraudes no valor de mil milhões de dólares por ano geridas por redes criminosas”, afirmou Wainwright.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nos escritórios da Europol, especialistas de empresas que emitem cartões de crédito, nomeadamente Visa, Mastercard e American Express, e de companhias aéreas colaboraram com a polícia.

Entre os que foram detidos, numerosos eram também procurados por outros crimes.

“Em muitos casos, a fraude de cartão de crédito está ligada a outros crimes como o tráfico de seres humanos para exploração sexual, a imigração ilegal, o tráfico de drogas”, disse à AFP um investigador policial que não quis ser identificado.

O diretor da Europol afirmou que a operação, que durou dois dias, foi de uma escala sem precedentes e exigiu quatro meses de preparação.

“É um exemplo fantástico de colaboração entre a polícia e o privado para proteger o consumidor”, disse Rob Wainwright.