A base norte-americana de Osan, na Coreia do Sul, foi hoje encerrada depois de informações sobre a presença de um atirador no local, anunciou a força aérea norte-americana.

“Recebemos informações sobre um possível incidente com um atirador. Foi estabelecido um perímetro (de segurança) e as forças de segurança patrulham a zona”, informou o exército em comunicado divulgado na sua página oficial do Facebook.

Os Estados Unidos estão, de forma permanente, na Coreia do Sul, país com o qual realizam frequentemente exercícios militares conjuntos, nomeadamente dissuasores das ameaças da Coreia do Norte.

“Estão todos a salvo. O bloqueio foi levantado”, indicou a mesma fonte, através do Facebook, detalhando que as operações das forças de segurança foram dadas como completas sem que tenham sido reportados feridos ou detetadas atividades suspeitas.

A base de Osan é uma dos vários complexos que alojam 28.500 efetivos dos Estados Unidos destacados na Coreia do Sul.

O complexo foi encerrado pouco depois das 11:00 (02:00 em Lisboa) como medida de precaução na sequência de um falso alarme.

“Um dos nossos professores recebeu uma chamada, de uma voz que parecia computorizada, indicando que havia um atirador ativo”, disse o diretor da escola da base norte-americana, Morgan Nugent.

“Não estava previsto nenhum exercício na base, pelo que decidimos errar por segurança e avançar com o total encerramento da escola”, acrescentou.

Medidas de segurança foram estendidas a toda a base, enquanto as forças vasculhavam os edifícios das escolas e os terrenos na zona.