As negociações entre o Governo ucraniano e os rebeldes pró-russos concluíram esta quarta-feira uma maratona negocial de cinco horas na Bielorrússia, mas sem grande sucesso em chegar a um acordo para acabar com o conflito e sem sequer chegarem a acordo quanto a uma data para continuarem as negociações.

As negociações, que decorreram em Minsk, deviam continuar na sexta-feira, quando devia ser assinado um acordo final, mas os representantes dos rebeldes disseram no final que não podiam garantir que as negociações continuassem, como estava previsto.

“Tivemos uma reunião preliminar muito difícil”, afirmou o mediador da região pró-separatista de Donetsk, Denis Pushilin, a um site pró-rebelde, citado pela Bloomberg. “A data e a hora da próxima reunião ainda estão por decidir. Está em discussão”, adiantou.

No final da reunião, o líder da autoproclamada República de Donetsk (afeta aos rebeldes pró-russos), Alexander Zakharchenko, disse apenas que “há uma segunda ronda pela frente”, sem adiantar mais detalhes.

Nem os representantes do Governo ucraniano, russo ou os enviados europeus falaram com os jornalistas que esperavam pelo final da reunião. A guerra já se prolonga há oito meses. Lugansk e Donetsk foram as duas cidades junto à fronteira com a Rússia que se insurgiram contra a União Europeia.