Funcionários da Guarda Nacional (policia militar) venezuelana detiveram, sábado, um estudante luso-descendente de 23 anos de idade, quando protestava devido à escassez de produtos, disseram hoje fontes da comunidade portuguesa à Agência Lusa.

Segundo as mesmas fontes Luís Alfredo dos Santos foi detido pelos militares quando protestava, conjuntamente com outras pessoas, na proximidades do supermercado estatal Bicentenário, em San Bernardino, no centro de Caracas.

Estas pessoas protestavam, pacificamente, com que são escassos no mercado local.

Através da sua conta no Twitter, o diretor da ONG Foro Penal Venezuelano, Alfredo Romero, confirmou que outras quatro pessoas foram também detidas pela Guarda Nacional, no mesmo local.

A imprensa venezuelana dá conta de que, pelo menos, 18 pessoas foram detidas desde sexta-feira no âmbito de protestos contra a escassez de produtos no centro, leste e sudeste de Caracas.

Entre os detidos encontra-se o jornalista Carlos Júlio Rojas.

Na Venezuela são cada vez mais frequentes as queixas dos cidadãos devido a dificuldades para conseguir, no mercado local, alguns produtos essenciais como o detergente, o açúcar, o leite em pó, óleo vegetal, café, farinha de milho pré-cozida, papel higiénico, entre outros.

Por outro lado, nos últimos dias, multiplicaram-se significativamente as já tradicionais filas de clientes à porta de supermercados para comprar os produtos que escasseiam e que muitas vezes nem chegam a ser colocados à venda nas prateleiras.