A Câmara Municipal de Melgaço promove, hoje, no Porto, uma manifestação contra o alargamento da produção de vinho Alvarinho a todos os concelhos da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV).

O protesto, em se anuncia a participação de cerca de 400 produtores da Adega Quintas de Melgaço, pretende, segundo a autarquia de Melgaço, “reforçar a posição de defesa da exclusividade e de salvaguarda da qualidade deste vinho único produzido na sub-região de Monção e Melgaço, em oposição ao alargamento, em negociação entre as partes por imposição do Governo e com a chancela da CVRVV”.

A Câmara de Monção, município que juntamente com Melgaço detém a exclusividade da produção “não vai participar por considerar não ser oportuno avançar com qualquer medida ou posição sem conhecer a decisão final” do grupo de trabalho nomeado pelo Governo “para encontrar a melhor solução da denominação do vinho Alvarinho”.

A manifestação no Porto foi convocada para o mesmo dia da última reunião do processo negocial do Grupo de Trabalho Alvarinho (GTA) constituído pelo Governo e liderado pela CVRVV, defensora do alargamento da produção a todos os concelhos que a integram, para alcançar um acordo entre todos os produtores.

Aquele encontro negocial decorrerá às 15:30 nas instalações da CVRVV em Arcos de Valdevez, onde se faz investigação sobre as castas da região. Já o protesto dos produtores de Melgaço está marcado para as 10:00, em frente à sede da CVRVV, no Porto.