A Grécia colocou nesta quarta-feira 812,5 milhões de euros em dívida a três meses a uma taxa de juro de 2,15%, mais 0,25 pontos percentuais do que no anterior leilão comparável de 17 de dezembro, foi anunciado. A Autoridade de Gestão da dívida Pública grega (PDMA) informou que a procura foi de 1.113 milhões de euros, ou seja 1,78 vezes superior à oferta inicial de 625 milhões de euros. No leilão anterior, a procura tinha sido 1,93 superior à oferta. Os juros da dívida da Grécia estavam hoje, cerca das 11h30 em Lisboa, a 9,16% no mercado secundário.

Na Grécia, nos últimos dias, os juros da dívida grega voltaram a estar sob forte pressão perante a incerteza dos investidores do que possa vir a ocorrer depois das eleições antecipadas do próximo dia 25, nas quais o partido de esquerda Syriza é o favorito.

Apesar de o Syriza ter reafirmado que não tenciona abandonar o euro e que manterá a negociação, ainda que “dura”, com os parceiros europeus, o ‘fantasma’ de uma possível saída da Grécia da zona euro reapareceu, alimentado pelo Governo conservador grego e a partir de diversas capitais europeias, sobretudo, Berlim

Depois de quatro anos de ausência, a Grécia recorreu aos mercados pela primeira vez a 10 de abril último com um leilão de 3.000 milhões de euros em títulos a cinco anos, que colocou na totalidade a uma taxa de juro de 4,75%.