Irina Shayk falhou a gala da FIFA, que decorreu no início da semana em Zurique, na Suíça, devido a “compromissos profissionais”. Quem o diz é o agente da modelo russa, que emitiu um comunicado a explicar o motivo por que esta não acompanhou Cristiano Ronaldo na cerimónia onde o avançado viria a receber a terceira Bola de Ouro.

Os rumores de uma possível separação acentuaram-se depois da ausência da modelo no respetivo evento e pioraram quando Ronaldo não incluiu a namorada de quatro anos no discurso de agradecimento. Os maiores “estragos” aconteceram assim que a imprensa nacional e internacional noticiou que Irina Shayk deixou de seguir a página do melhor jogador do mundo no Twitter. Mas, ao que parece, também há resposta para isso: o representante da modelo assegura que Irina nunca seguiu o futebolista nas redes sociais.

O certo é que enquanto Ronaldo era considerado o “melhor jogador do ano de 2014”, Irina publicava no Instagram fotografias suas em cenários paradisíacos. Ela que completou 29 anos no passado dia 7 de janeiro e, como mote de celebração, viajou até às Maldivas. Ronaldo não esteve presente na ocasião.

View this post on Instagram

B day#5

A post shared by irinashayk (@irinashayk) on

Apesar das declarações oficiais, a relação entre ambos continua “tremida” nas folhas dos jornais. Esta sexta-feira o El Mundo publica um artigo a propósito da “estranha separação” do casal e, considerando fontes próximas da família, assegura que a matriarca da família de Ronaldo nunca viu a relação do futebolista com a modelo com bons olhos. Ao que parece, Dolores Aveiro preferia ver o filho acompanhado de uma mulher portuguesa.

Ronaldo e Irina conheceram-se em maio de 2010 numa sessão fotográfica para a marca de roupa Armani. O jogador rendeu-se à beleza da modelo e levou-a de férias para a ilha de Córsega, a bordo do iate pessoal — dessa viagem resultaram as primeiras fotos do casal. Pouco tempo depois, no decorrer do mundial de futebol realizado na África do Sul, Irina seria apresentada à família do avançado, o que o El Mundo descreve como sendo a primeira “prova de fogo”.

Outro teste não tardia a chegar, quando em junho de 2010 nasceu Cristiano Ronaldo Jr, cuja identidade da mãe permanece desconhecida. A existência do filho do avançado do Real Madrid (recentemente eliminado da Taça do Rei, apesar do golo de Ronaldo) terá abalado a estrutura da relação. Não obstante, o pequeno tem vindo a conquistar a imprensa internacional nas aparições ocasionais. Exemplo disso foi quando, vestido de Super-Homem, “interrompeu” a entrevista entre o pai, Ronaldo, e Marcelo Rebelo de Sousa.

O casal está junto desde 2010 e raramente é visto em público, dado que ambos têm carreiras muito intensas. Enquanto Irina passa a maior parte do tempo em Nova Iorque, Ronaldo encontra-se em território espanhol e a jogar na equipa do Real Madrid.