Um Governo à velocidade da luz. Em dois dias, Alexis Tsipras ganhou as eleições, formou um Governo de coligação com os Gregos Independentes (ANEL) e tomou posse. Nesta terça-feira, foram conhecidas as caras da Grécia para os quatro próximos anos.

São apenas dez os ministros de Alexis Tsipras (salvo o vice-primeiro-ministro e o ministro do Estado), número reduzido se comparado com os 22 do anterior Governo de Antonis Samaras. No total, no entanto, o número de governantes ascende a 40, entre ministros e secretários de Estado que ficarão responsáveis por pastas mais específicas, realidade mais próxima da do anterior Governo, onde faziam parte da equipa alargada 47 pessoas.

governo grecia

O elenco é o seguinte:

  • Yianis Dragasakis – vice-primeiro-ministro. Será o número dois do Governo e ficará encarregue de supervisionar a área económica. Todas as negociações com a troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) passarão por ele. É economista de formação e dos únicos políticos da linha da frente do Syriza que já teve responsabilidades governativas – esteve no ministério da Economia no final da década de 80, durante um Governo independente de transição.
  • Yanis Varoufakis – ministro das Finanças. Nacionalidade greco-australiana, 53 anos, professor de Economia na Universidade de Atenas e na Universidade norte-americana do Texas. Foi assessor económico do Governo do socialista de Georges Papandreou entre 2004 e 2006. Catalogado pela imprensa internacional como “economista radical”, é um fervoroso adepto da reestruturação da dívida grega e do fim da austeridade. A título de curiosidade, foi mesmo uma das 74 personalidades que subscreveram o manifesto da reestruturação da dívida portuguesa, lançado em março por vários políticos como Bagão Félix, Manuela Ferreira Leite e Francisco Louçã.
  • Panos Kammenos – ministro da Defesa. Líder do partido nacionalista Gregos Independentes, que faz parte da coligação. É a única grande pasta que os Gregos Independentes conseguem, ficando também com várias outras pequenas pastas equivalentes a secretarias de Estado em vários ministérios.
  • Nikos Voutsis – ministro do Interior, um dos supero-ministérios criados pelo atual Governo. Voutsis era deputado do Syriza.
  • Panayiotis Lafazanis – ministro da Produção, Energia e Ambiente. É um ministério novo, que não havia no anterior Executivo. Deputado no Parlamento grego, Lafazanis pertence à chamada Plataforma de Esquerda, a ala mais à esquerda dentro do Syriza.
  • Nikos Kotzias – ministro dos Negócios Estrangeiros. Ex-comunista e conselheiro de Papandreou até ao resgate financeiro da Grécia, em 2010. Um académico com muita experiência internacional. Atualmente, é professor na Universidade Marburgo, mas também já passou por Harvard. Em 2013, publicou o livro “Grécia, colónia da dívida. O Império Europeu e a primazia germânica”.
  • Panos Skourletis – ministro do Trabalho. Era o porta-voz do Syriza.
  • George Stathakis – ministro da Economia, Infraestruturas, Marinha e Turismo. É mais um novo super-ministério, com responsabilidades nas áreas do fomento, competitividade, marinha, mar Egeu, Turismo, infraestruturas, transportes e redes. Segundo um relatório recente da JP Morgen, Stathakis pode vir a ser uma das peças centrais do poder do Syriza. Um político veterano da esquerda grega, que chegou a pertencer ao Partido Comunista (KKE). “Esperamos que a vitória do Syriza inicie uma mudança noutros países europeus”, afirmou, em entrevista ao jornal Público, dias antes das eleições. Professor na Universidade de Creta.
  • Panayiotis Kouroublis – ministro da Saúde. Deputado e porta-voz do grupo parlamentar do Syriza. É invisual. É a primeira vez que um invisual chega à liderança de um ministério na Grécia.
  • Nikos Paraskevopoulos – ministro da Justiça, Transparência e Direitos Humanos.
  • Aristides Baltas – ministro da Cultura, Educação e Assuntos Religiosos (outro super-ministério).  Professor de Filosofia, foi um dos fundadores do Syriza.
  • Porta-voz do Governo: Gabriel Sakellaridis; Porta-voz do Parlamento: Zoe Constantopoulou

Alexis Tsipras e a sua recém-formada equipa já fizeram o juramento e tomaram posse esta tarde no palácio presidencial. Na quarta-feira haverá a primeira reunião do novo Executivo.

Ao todo são 40 governantes, contando com os secretários de Estado, sendo que apenas seis são mulheres – e nenhuma está na liderança de algum ministério.