Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Há um “risco que cresce a cada dia” de um resultado “muito mau” no impasse negocial entre a Grécia e os credores europeus. O alerta é de George Osborne, o ministro das Finanças, que esteve reunido na semana passada com Yanis Varoufakis, o seu homólogo grego, e saiu dessa reunião a dizer que esta crise está a tornar-se o “maior risco para a economia global“.

“Tornou-se claro que os riscos para a economia mundial e os riscos para a economia britânica deste impasse estão a crescer a cada dia“, afirmou George Osborne, em entrevista à Bloomberg TV em Istambul, após a reunião dos ministros das Finanças do G-20. “Aqui, no G-20, estamos a instar todas as partes a encontrarem soluções que sirvam a todos”, afirmou George Osborne.

“O risco de um passo em falso, levando a um resultado muito mau, está a crescer“, atirou o responsável.

Ainda assim, “em nossa casa estamos a intensificar a elaboração de medidas de prevenção para qualquer que seja o resultado”, afirmou George Osborne. Já na segunda-feira o primeiro-ministro, David Cameron, adiantou através da rede social Twitter que “tendo em conta a incerteza em torno da Grécia e do euro, foi importante eu ter liderado uma reunião para assegurar que o Governo está preparado para todas as eventualidades“.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Reino Unido não estará representado na reunião do Eurogrupo de quarta-feira, dia 11. Mas George Osborne deixa a seguinte mensagem: “Uma saída da Grécia da zona euro seria muito perigosa para a economia mundial e teria, potencialmente, consequências muito danosas para a economia europeia“.