A Soares da Costa Construção elege a capital de Angola como o novo centro estratégico do negócio do grupo. A empresa que é controlada pelo empresário angolano António Mosquito anuncia também uma alteração da administração.

O presidente da comissão executiva passa a ser Joaquim Fitas que substitui António Castro Henriques. O novo presidente executivo (CEO) já estava em Luanda onde era administrador da construtora angolana Omatapalo. Em declarações ao Observador, o novo CEO está confiante que a situação económica do país vai “voltar a aquecer” e que os atais constrangimentos financeiros, muito provocados pela queda do preço do petróleo, são conjunturais e não estruturais.

Embora o investimento público em infraestruturas seja muito importante num mercado como Angola, e o governo de Luanda já cortou o plano previsto para este ano, a Soares da Costa é uma empresa que está no país a a longo prazo, sublinha ainda Joaquim Fitas. Este mercado já representava no passado recente mais de metade do volume de negócios da construtora. Em 2014, Angola gerou 60% da faturação cujos números finais ainda não são conhecidos. A outra aposta da Soares da Costa, Moçambique, pesa atualmente 25%. O grupo anunciou recentemente a adjudicação de obras no país no montante de 17,5 milhões de euros.

A mudança do centro de decisão para Luanda tem ainda a finalidade de potenciar a aproximação a outros mercados sul-africanos. Portugal e os restantes mercados contribuem apenas com 15% da faturação de 2014. Apesar do peso quase residual, o mercado português não vai sair da operação da Soares da Costa, Joaquim Fitas acredita que a construção vai recuperar. A empresa ainda tem sede no Porto e mantém serviços partilhados e de apoio técnico no país

O plano de recapitalização do antigo grupo Soares da Costa levou à abertura da maioria do capital da construtora ao empresário angolano António Mosquito que investiu 70 milhões de euros para ficar com 66,7% do capital da empresa de construção. Esta operação anunciada em 2013 ficou concluída no ano passado. António Mosquito é o presidente do conselho de administração da Soares da Costa que será ainda composto por Paulo Leal, Daniel Pinto da Silva e Fernando Nogueira, para além de Joaquim Fitas.

Manuel Fino é acionista minoritário com 33,3% da construtora, através da Soares da Costa Investimentos. O grupo prosseguiu o plano de reestruturação com a alienação de várias participações no ano passado, desde a empresa de águas Indáqua, passando por uma concessionária em Moçambique e uma construtora nos Estados Unidos.

 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR