Hillary Clinton foi secretária de Estado da administração liderada por Barack Obama, entre 2009 e 2013. Como tal, trocava e-mails com muita frequência. Mas, ao que parece, não usava uma conta oficial do governo para o fazer. Usava, sim, uma conta pessoal.

A informação é avançada pelo New York Times. No caso de se confirmar, Hillary Clinton pode ter violado uma das “regras federais” do estado americano: a correspondência dos membros do governo deve ficar retida nos registos governamentais.

Segundo avança a ABC, que cita o Times, Hillary Clinton “nem sequer tinha uma conta de e-mail do governo”. Se tudo tivesse corrido como previsto, Hillary teria um e-mail que terminaria em state.gov. Esses e-mails, refere o mesmo jornal, são “criados automaticamente nos servidores do governo e guardados nos registos federais”.

O domínio pessoal “clintonemail.com” terá sido registado na semana antes de Hillary Clinton se tornar oficialmente secretária de Estado de Obama em 2009, refere o Washington Post. Jen Psaki, porta-voz do departamento de Estado, já veio garantir que o Estado “tem acesso há muito tempo a um vasto leque” dos registos de Hillary Clinton, incluindo os e-mails que trocou, em que usou uma conta state.gov. Quanto às restantes contas de e-mail “não-governamentais” ou pessoais usadas por Hillary Clinton, Jen Psaki não fez comentários.

Fonte da equipa de Hillary Clinton confirma que a ex-secretária de Estado dos EUA usou o e-mail pessoal para assuntos do governo, mas rejeita a violação das regras de Estado. Sobre o conteúdo dos e-mails, nem uma palavra. A própria Hillary Clinton não comenta o caso.