Dark Mode 132kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Hoje é um bom dia para mudar os seus hábitos. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Figo já havia denunciado a CONCACAF em abril

Figo arrasou a FIFA na hora da desistência, mas, em abril, no congresso da CONCACAF, denunciou a "falta de transparência" na eleição. Jeffrey Webb, presidente da CONCACAF, foi detido hoje em Zurique.

i

"Quando alguns falam e outros são silenciados, a democracia e o futebol perdem.", denunciou Luís Figo no final do congresso da CONCACAF.

Vittorio Zunino Celotto/Getty Images for Golden Foot

"Quando alguns falam e outros são silenciados, a democracia e o futebol perdem.", denunciou Luís Figo no final do congresso da CONCACAF.

Vittorio Zunino Celotto/Getty Images for Golden Foot

A desistência de Luís Figo da sua candidatura à presidência da FIFA já se pré-anunciava quando, a 16 de abril, citado pela Reuters, o ex-candidato criticou o que chamou de “falta de democracia” no congresso da CONCACAF que se realizou nas Bahamas. É que o atual presidente da entidade que controla o futebol mundial, Joseph Blatter, foi o único candidato que teve oportunidade de discursar aos presentes. Nenhum dos outros, o próprio Luís Figo, o presidente da Federação Holandesa de Futebol, Michael van Praag — que entretanto também desistiu da sua candidatura –, ou o príncipe da Jordânia Ali bin al-Hussein, o único ainda a concorrer com Blatter, foi autorizado a falar.

Horas antes do congresso, Figo, que já visitara outras confederações em busca de apoios à sua candidatura, publicou na rede social Twitter o discurso do seu comprometimento para com as dez federações da Confederação da América do Norte, Central e Caribe (CONCACAF). Blatter foi quem acabou por cair no goto dos presentes, anunciando, no final, que aquela Confederação deveria ter uma vaga extra no Campeonato do Mundo.

“Quando alguns falam e outros são silenciados, a democracia e o futebol perdem. As eleições são, por definição, um processo democrático. Caso contrário, não são eleições”, afirmou Figo à Reuters. “Eu sou um defensor incondicional da democracia. A democracia é essencial na sociedade moderna. Continuo a acreditar que as eleições da FIFA têm que ser transparentes.”, acrescentou.

A sessão tinha por objetivo discutir a ata da reunião anterior, mas durante o evento Blatter recebeu promessas de apoio de todas as federações e o congresso rapidamente se transformou num comício para apoiar o atual presidente da FIFA. Tanto, que houve até quem tivesse rompido com o protocolo e comparado o dirigente suíço de 79 anos a Jesus Cristo. “Os candidatos à presidência da FIFA não foram autorizados a falar no congresso da CONCACAF, mas algumas intervenções de campanha ocorreram sem estar na agenda”, declarou o ex-futebolista português à Reuters.

A minha candidatura à Presidência da FIFA resultou de uma decisão individual, depois de ouvir muita gente relevante...

Posted by Luís Figo on Quinta-feira, 21 de Maio de 2015

Luís Figo acabaria por desistir um mês depois do episódio nas Bahamas da sua candidatura à presidência da entidade que rege o futebol mundial. O anúncio foi feito na passada quinta-feira, 21 de maio, através de um comunicado enviado à Associated Press, onde Figo se refere à FIFA como sendo uma ditadura: “Testemunhei consecutivos episódios, em todo o mundo, que deveriam envergonhar qualquer pessoa que deseje que o futebol seja livre, limpo e democrático”. As eleições estão marcadas para esta sexta-feira, 29 de maio, em Zurique.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.