Ségolène Royal ao lado de François Hollande? Sim, aconteceu na receção do rei e da rainha de Espanha que teve lugar na terça-feira no Palácio do Eliseu. O quadro das quatro figuras lado a lado causou estranheza à imprensa francesa e espanhola já que Ségolène, ministra do Ambiente, parecia estar a cumprir as funções de primeira-dama, uma situação insólita já que a socialista manteve uma relação de vários anos com Hollande, de quem tem quatro filhos. No entanto, no seio do Governo, fala-se de uma ascendente cada vez maior de Ségolène sobre o Presidente e já a apelidam de vice-Presidente.

Royal é atualmente ministra do Ambiente, mas também é a terceira figura do Governo francês logo a seguir a Manuel Valls, primeiro-ministro, e Laurent Fabius, ministro do Negócios Estrangeiros, o que determina que em caso de os outros dois não estarem presentes e uma cerimónia oficial obrigar a que o Presidente francês esteja acompanhado, Ségolène seja a escolha óbvia. E foi esse o caso, explicou o protocolo do Eliseu à revista Le Point. No entanto, trata-se de uma situação curiosa, já que Ségolène e Hollande viveram juntos durante vários anos e têm quatro filhos em conjunto. Ao lado de Hollande, estava habitualmente a sua companheira Valérie Trierweiler, mas depois de serem descobertas as infidelidades do Presidente, o casal separou-se.

Apesar de o caso ser caricato, a imprensa francesa vem relatando a ascensão de Ségolène Royal no Governo e até como segunda figura de Estado a seguir a Hollande, ganhando proeminência como aconteceu numa reunião com o antigo candidato a Presidente dos EUA, Al Gore, onde Hollande esperou por Royal para tirarem uma fotografia juntos. A revista Nouvel Observateur chamou-lhe mesmo “vice-Presidente”.

No final do ano, Ségolène será anfitriã em Paris de uma das maiores conferências de sempre sobre as alterações climáticas onde serão impostas novas metas para consumo de energias fósseis e o reforço nas energias renováveis.