A Grécia conseguiu um excedente de 1% no saldo primário de março e poderia ter conseguido mais no saldo global, não fossem os juros da dívida, que estão a “asfixiar a economia”, disse Varoufakis.

Numa entrevista à TV grega Alpha, citada pela Blooomberg, o ministro das Finanças disse ainda, a propósito das negociações finais que estão a decorrer em Bruxelas, que “quando se entra numa negociação, é necessário compromisso”.

“Nós assumimos muitos compromissos. O objetivo das negociações é sair da crise. Para que isso aconteça, é preciso que a Grécia regresse aos mercados, pelo que é necessária uma reestruturação da dívida. São precisas reformas estruturais“, disse.

Tanto a Grécia como Bruxelas querem que as negociações fiquem concluídas este fim de semana, antes da abertura dos mercados.