“Quero que fique bem claro: Desminto qualquer divergência entre mim e Antonio Costa sobre as eleições presidenciais como, aliás, sobre qualquer outro assunto na vida do PS”. É assim que Carlos César, atual presidente do PS, nega as notícias sobre um possível desentendimento com o líder socialista sobre as próximas eleições presidenciais. Esta terça-feira, o jornal i diz que César quer que o partido apoie rapidamente Sampaio da Nóvoa, acrescentando que António Costa prefere adiar para depois das legislativas uma decisão sobre o apoio do partido.

Na mensagem enviada ao Observador, mesmo assim, Carlos César faz um acrescento: “Confirmo apenas que já falei com o Prof. Sampaio da Novoa sobre o tema e que recentemente lhe transmiti em nome do secretário-geral a avaliação que o PS faz. É tudo quanto posso dizer”, anota o presidente do partido. A conversa com Sampaio da Nóvoa foi aqui contada pelo Observador na semana passada, onde se explicava que a profusão de opiniões diferentes no PS sobre quem apoiar tinha levado César a transmitir ao ex-reitor que o partido iria rapidamente tomar uma decisão. Pouco depois, de resto, viriam novas notícias sobre a candidatura iminente de Maria de Belém – que a própria não negou na Renascença nem no Expresso.

Depois das notícias sobre o apressar do apoio a Sampaio da Nóvoa, Costa evitou sempre uma resposta mais afirmativa. Já o candidato, foi mais afirmativo: o apoio do PS será “extraordinariamente importante”, disse aos jornalistas.

Uma sondagem publicada esta segunda-feira no Correio da Manhã dizia que Maria de Belém tem mais apoio do que Sampaio da Nóvoa como candidato à esquerda.