Três caças F-16 da força aérea turca bombardearam esta madrugada várias posições do grupo estado islâmico em território sírio, depois de um confronto entre o exército turco e os ‘jihadistas’ na fronteira, anunciou o gabinete do primeiro-ministro turco.

Os aviões turcos atacaram entre as 3h40 e 3h53 locais (1h40 e 1h53 em Lisboa) “dois quartéis e um posto de reunião” dos combatentes do estado islâmico com mísseis, antes de voltarem para a base de Diyarbakir (sudeste), acrescenta o comunicado publicado pelos serviços de Ahmet Davutoglu.

Esta foi a primeira intervenção aérea de Ankara contra a milícia ‘jihadista’, refere a agência Efe.

Segundo a agência Dogan, os alvos foram localizados perto da localidade de Havar, no sul do país.

“A República da Turquia está determinada a tomar todas as medidas necessárias para defender a segurança nacional”, informa o comunicado, precisando que os ataques foram decididos durante uma reunião de segurança na quinta-feira com o chefe do governo.

Na quinta-feira combatentes ‘jihadistas’ abriram fogo a partir da Síria contra um posto fronteiriço do exército turco na região de Kilis, matando um militar e ferindo dois outros soldados, segundo o estado-maior.

A Turquia autoriza os Estados Unidos a usar bases aéreas do país, entre as quais a de Incirlik, no sul do território, como ponto de apoio nos ataques ao grupo autoproclamado Estado Islâmico (EI), comunicaram na quinta-feira as autoridades norte-americanas.

O anúncio da cooperação entre as forças turcas e norte-americanas surge três dias após o atentado suicida, atribuído ao grupo extremista, contra os ativistas pró-curdos em Suruç, no sul da Turquia, perto da fronteira síria, que fez 32 mortos e uma centena de feridos.