O comércio externo da China, a segunda maior economia mundial e a primeira potência comercial do planeta, caiu 7,3% nos primeiros sete meses do ano, segundo dados oficiais divulgados este sábado.

Segundo dados da Administração-geral das Alfândegas da China, as importações sofreram uma forte queda de 14,6% entre janeiro e julho, enquanto as exportações diminuíram, mas de forma mais moderada, 0,9% relativamente ao período homólogo do ano passado.

As exportações são um importante motor do crescimento económico da China, enquanto a diminuição das importações pode sinalizar uma procura interna fraca.

Em 2014, o crescimento do comércio externo chinês abrandou para 3,4% (cerca de metade da meta preconizada pelo governo), mas o excedente comercial da China aumentou 45,9%, atingindo o valor recorde de 382.400 milhões de dólares (cerca de 354.000 milhões de euros).

No conjunto, a economia chinesa abrandou em 2014 para 7,4%, o crescimento mais baixo desde há 24 anos, e para este ano, a meta é “cerca de 7%”.

Segunda economia mundial, a seguir aos Estados Unidos, a China é também o maior exportador do planeta, à frente da Alemanha e do Japão, e representa 12% do comércio global.