Promotores de justiça sul-africanos apresentaram esta segunda-feira recurso para que Oscar Pistorius seja condenado por homicídio premeditado pela morte da sua namorada, Reeva Steenkamp, em 2013.

O atleta paralímpico foi detido em 2014, condenado pelo crime menor de homicídio não premeditado, e deverá ser libertado na sexta-feira, permanecendo porém em prisão domiciliária.

“O que vos posso assegurar é que hoje os documentos [para oficializar o recurso] foram entregues ao Tribunal Supremo de Apelo”, declarou o porta-voz da Autoridade Nacional de Acusação, Luvuyo Mfaku, citado pela agência France Presse (AFP).

Os representantes de Oscar Pistorius têm até 17 de setembro para apresentar oficialmente a sua defesa.

Na madrugada de 13 de fevereiro de 2013, Oscar Pistorius disparou contra Reeva Steenkamp, matando-a. Condenado a cinco anos de prisão, a pena causou polémica por não ser, alegadamente, proporcional ao crime cometido.

O atleta confessou, defendendo porém que disparou por pensar que um intruso tinha entrado em sua casa, e que a morte de Reeva Steenkamp foi acidental.