O Governo britânico poderá estar disposto a receber 15.000 refugiados sírios e espera obter apoio parlamentar em outubro para desencadear ataques aéreos contra o grupo Estado Islâmico (EI), refere a edição de hoje do Sunday Times.

O primeiro-ministro britânico tem estado sob pressão a nível externo e interno para abordar de forma mais consistente a crise dos refugiados.

Na quinta-feira referiu estar “profundamente comovido” pelas imagens do menino sírio de três anos, Aylan Kurdi, encontrado morto numa praia da Turquia.

Segundo o periódico, Cameron pretende agora alargar o programa de recolocação de pessoas vulneráveis, receber 15.000 refugiados sírios e ainda desencadear ações militares contra os traficantes.

O Sunday Times assegura ainda que o primeiro-ministro britânico vai tentar persuadir os deputados do Partido Trabalhista, na oposição, a apoiarem ataques aéreos na Síria num voto previsto para o início de outubro.

O jornal tinha referido previamente que existia uma opção para aceitar diretamente refugiados provenientes de campos da ONU na fronteira com a Síria.

Em 2014 o Reino Unido aceitou 216 refugiados sírios com base num plano especial do Governo e o país concedeu asilo a cerca de 5.000 sírios desde o início do conflito em 2011, um número muito inferior ao registado em países como a França, Alemanha e Suécia.