Os três grandes, Benfica, Porto e Sporting, vão jogar no dia das eleições legislativas, o que nunca aconteceu na história da democracia, mas isso parece não ser problema para os partidos políticos. Pelo menos, não houve nenhuma queixa que chegasse à Comissão Nacional de Eleições.

A semana passada, a Liga decidiu que os jogos dos três grandes a contar para o campeonato se realizariam no domingo dia 4 de outubro e garante que esta foi uma decisão “acordada com os clubes”. E logo no dia não houve reação dos partidos políticos. Ao Observador, o socialista Jorge Lacão chegou a admitir que estava “apreensivo” com esta decisão, mas não foi mais longe que isso. E nenhum dos outros partidos se pronunciou. E se não o fizeram à comunicação social, muito menos fizeram à CNE. Nem uma queixa deu entrada, garantiu fonte oficial da entidade ao Observador.

A semana passada, a CNE garantiu que não podia travar a Liga, mas desaconselhou a realização dos jogos nesse dia. “A CNE não considera recomendável porque potencia o alheamento das pessoas e acrescentará os abstencionistas”, afirmou ao Observador o porta-voz da entidade, João Almeida.

A Comissão Nacional de Eleições reúne esta terça-feira e analisará a questão dos jogos de futebol bem como as circunstâncias em que José Sócrates, em prisão domiciliária, poderá votar.