Rádio Observador

Caitlyn Jenner

Kim Kardashian: “Aos 21 anos, vi-o na garagem vestido de mulher”

Kim Kardashian encontrou Bruce Jenner na garagem vestido de mulher. Ficou em choque e procurou informação na internet com a irmã. Agora contou a Ellen DeGeneres como viveu a transição de Caitlyn.

Bruce Jenner, Kim Kardashian e Kris Jenner em outubro de 2007, na apresentação da primeira temporada de "Keeping Up With The Kardashians".

Getty Images

Aos 11 anos, Kim Kardashian ouvia comentários do pai sobre o padrasto. Robert Kardashian e Kris Jenner estavam separados e a mãe de Kim casou com Bruce Jenner. Ele era o alvo de graçolas por se “vestir de mulher”. Uma mentira inventada pelo pai, coisa de ciúmes por a ex-mulher ter um novo marido, pensou a criança na altura. Passou. Dez anos depois, aquele cenário voltou.

A história é contada por Kim Kardashian West à apresentadora Ellen Degeneres. A estrela de televisão norte-americana reitera o apoio a Caitlyn Jenner e revela pormenores sobre a forma como a transição foi vivida por ela. Aos 21 anos, Kim entrou na garagem da casa e deparou-se com Bruce Jenner vestido de mulher. “Nem sequer percebi logo quem era, mas tive logo um flash do meu pai a falar. ‘Aquele é o Bruce vestido de mulher’, pensei.”

Depois veio o choque. “Comecei a correr, tremia e chorava. Fiz rapidamente uma mala, saí de casa e liguei à Kourtney (irmã de Kim). Depois disse-lhe: ‘nem imaginas como é que encontrei o Bruce’ e ela disse ‘apanhaste-o a trair’, e eu respondi ‘antes fosse. Nem sei o que dizer’“. Seguiu-se a confusão e as duas procuraram informação na internet. Acabaram a ver um episodio do talk-show de Oprah Winfrey sobre pessoas transgénero.

Kim Kardashian West conta que a sua filha North já conhece Caitlyn. Tudo aconteceu no dia do pai, depois do convite de Caitlyn Jenner para juntar a família naquele dia. “Eu liguei-lhe e perguntei: ‘estás mesmo a convidar-nos para o dia do Pai? Estás à espera de um presente? Não esperes ter presentes a dobrar! Tens de escolher: queres presentes no dia da mãe ou no dia do pai?’” contou, entre risos, no talk-show de Ellen.

“Não interessa se entendemos ou não, não temos de julgar. Se é assim que a Caitlyn quer viver a vida dela, então eu apoio-a e fico feliz por ela”, concluiu. O excerto da conversa está aqui:

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Caitlyn Jenner

Sentir-se mulher

Lucy Pepper
285

Não me incomoda nada que haja homens que queiram ser mulheres, nem que a sua ideia do que é ser mulher seja a Jessica Rabbit. Mas gostaria que admitissem que não sabem o que é ser mulher.

Racismo

A Instrumentalização Política do Preconceito (2)

Vicente Ferreira da Silva e Miguel Granja

A ideia de que certos indivíduos membros da espécie humana pelo facto de partilharem alguns atributos arbitrários se esgotam em predicados grupais é objectivamente racista e sexista.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)