O Governo espanhol e o principal partido da oposição, o PSOE, trocaram hoje acusações sobre o défice público espanhol, com o executivo a garantir a Bruxelas que vai cumprir as metas e os socialistas a falar em contas “fraudulentas”.

Em Nova Iorque, o presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, rejeitou o cenário traçado pela Comissão Europeia de que Espanha não vai conseguir cumprir as metas de redução do défice, considerando que as previsões espanholas para 2016 são demasiado “otimistas”.

“Não estou de acordo. A Espanha não vai incumprir o défice”, disse Rajoy sobre a visão do executivo comunitário, que pediu ao governo em Madrid que execute o orçamento deste ano – ano de eleições no país – à risca.

Rajoy sublinhou que desde que está à frente do Governo espanhol (2011) sempre cumpriu as metas do défice e recordou que se alguém se enganou nas contas antes foi a Comissão Europeia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Provavelmente estariam a pensar noutras épocas, em que os desvios eram de até três por cento”, assinalou o chefe do Executivo espanhol, numa referência aos números do défice do seu antecessor, o socialista José Luis Rodríguez Zapatero.

Rajoy acrescentou que a própria Comissão espera que Espanha cumpra em 2015 e que em 2016 difira em poucas décimas da previsão do Governo.

O presidente do governo espanhol argumenta que as previsões do Fundo Monetário Internacional indicam que Espanha vai crescer este ano mais do dobro da média europeia, 3,1% contra os 1,5% de toda a Europa. “Em 2012 éramos um país doente da Europa e em 2015 o mundo dá-nos como exemplo”, afirmou.

Para Rajoy, os espanhóis têm razões para estar “muito tranquilos” porque o país recuperou atividade económica e emprego e tudo isso faz com que aumente a coleta, o que por sua vez permite cumprir o objetivo do défice.

Já o secretário-geral do PSOE, Pedro Sánchez, exigiu a comparência de Rajoy, de urgência, no parlamento para explicar as “mentiras e os embustes” do orçamento de 2016, que considera terem sido postos em causa pela Comissão Europeia.

“Com os seus enganos e embustes, o que faz Rajoy é prejudicar a imagem de Espanha a nível internacional, o que é perigoso para a estabilidade do país”, salientou o líder socialista.

Sánchez também pediu a Rajoy que retire o orçamento de cima da mesa para deixar que o próximo Governo recupere a “credibilidade perdida”, com umas contas “claras e verdadeiras”.