Pelo menos 40 jiadistas do grupo extremista sunita Estado Islâmico morreram este fim de semana num ataque aéreo no centro da Síria.

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), que está sediado no Reino Unido, aviões não identificados atacaram um conjunto de 16 veículos na noite de sábado para domingo na província síria de Hama, matando pelo menos 40 jiadistas.

O Observatório, que monitoriza a guerra na Síria e que tem uma rede de fontes seguras no local, não foi capaz de precisar imediatamente se o ataque foi realizado por aviões do exército sírio ou da Rússia.

“Mas não pertencem à coligação conduzida por Washington”, disse o diretor da organização, Rami Abdel Rahman.

A Força Aérea síria bombardeia quase diariamente a zona este de Hama onde o autoproclamado EI tem as suas posições.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

De acordo com Rami Abdel Rahman, a coluna militar do EI estava a dirigir-se da autoproclamada capital dos extremistas, Raqa, no norte da Síria, para a zona de campo de Hana.

A Rússia, um aliado chave do regime Sírio e do presidente Bashar al-Assad, tem levado a cabo uma campanha de ataques aéreos contra os seus oponentes desde 30 de setembro.