Promete ser animada a reunião que está agendada para a tarde desta segunda-feira na Assembleia Municipal de Lisboa. O vereador do CDS na câmara vai aproveitar a discussão sobre o projeto de requalificação do eixo entre o Marquês de Pombal e Entrecampos para lançar uma acha para a fogueira. Ou seja, em contraponto à proposta do executivo socialista, João Gonçalves Pereira vai levar ao plenário um documento que propõe a criação de um túnel entre Picoas e a Avenida da República.

A notícia vem nas páginas do jornal Público de segunda, mas já esta manhã o vereador falou ao Observador sobre o assunto. João Gonçalves Pereira acusa a autarquia de ter um comportamento “pouco sério” neste processo por estar a promover um debate público sobre o tema quando “estamos a 23 dias da entrega das propostas” para o concurso de empreitada. Ainda assim, vai apresentar na assembleia uma proposta que promete gerar controvérsia. A ideia de criação de um túnel entre Picoas e a Avenida da República é semelhante à que, há uns anos, o então candidato à câmara Santana Lopes apresentou durante a campanha. 

CDS1

Esta é a proposta do CDS para a zona de Picoas, onde se iniciaria o túnel.

CDS2

Para a zona do Saldanha, o CDS propõe algo bastante diferente do que existe hoje em dia e do que é proposto pela autarquia.

No documento que o vereador centrista vai levar mais logo ao Fórum Lisboa lê-se que o projeto que o CDS agora apresenta “permite corrigir os excessos da proposta do executivo socialista”, tendo como orientação “a procura de equilíbrio entre as diferentes realidades (pessoas + automóveis + bicicletas).” E isso traduz-se, por exemplo, na rejeição da eliminação de lugares de estacionamento à superfície entre o Marquês e Entrecampos. Esse tem sido, aliás, um ponto de discórdia entre o centrista, os moradores e o vereador do Urbanismo: enquanto a câmara diz que se vão perder 300 lugares de estacionamento naquele eixo, João Gonçalves Pereira diz que são 604. Face a este número, os moradores dessa zona mostraram-se muito preocupados numa animada reunião no início do mês.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Na proposta do CDS-PP está salvaguardado um número considerável de lugares de estacionamento para os moradores, ao contrário de uma brutal destruição de lugares de estacionamento proposta pelo executivo socialista”, lê-se no PowerPoint a ser apresentado.

Além da criação do túnel — “de longe mais prioritário do que o túnel que o executivo socialista pretende construir na zona da Feira Popular” — e da criação de 450 lugares de estacionamento nas avenidas Fontes Pereira de Melo e da República, o vereador centrista defende ainda o faseamento da obra em três etapas, o que mais uma vez contrasta com as intenções da câmara, que quer ver tudo pronto até 2017. A pressa, afirma João Gonçalves Pereira, é porque nesse ano há eleições autárquicas.

Também relativamente às ciclovias há alterações propostas pelo CDS. Em vez de uma pista em cada lado das avenidas, uma para cada sentido, o centrista defende a criação de apenas uma pista com dois sentidos. Perante as críticas dos moradores na tal reunião do início do mês, o vereador do Urbanismo admitiu que essa poderia ser uma hipótese a considerar, o que mereceu imediata reprovação dos movimentos de defesa das bicicletas. 

Esses movimentos estão a mobilizar-se nas redes sociais para conseguirem ter o máximo de pessoas possível na Assembleia Municipal de Lisboa mais logo. A reunião começa às 18h e qualquer um pode estar presente. Pode conhecer as propostas da câmara para a zona nesta fotogaleria.