O estado alemão da Renânia do Norte-Vestfália terá pago cerca de cinco milhões de euros, segundo a revista Der Spiegel, por uma pen drive que contém informações sobre mais de 600 milhões de euros em dinheiro que fugiu aos impostos. A informação que está na pen refere-se a fraudes relacionadas com lavagem de dinheiro e negócios falsos que proporcionaram a algumas empresas reembolsos indevidos de impostos sobre rendimentos de capital. 

A confirmar-se a informação da Der Spiegel, citada pelo The Guardian, será o valor mais elevado alguma vez pago por informação deste género. Segundo a revista, quem está a vender é um antigo especialista em gestão fiscal, que teve um cargo de topo que lhe proporcionou um conhecimento íntimo de vários mecanismos utilizados pelo setor financeiro alemão e europeu para evitar ilegalmente o pagamento de impostos.

A negociação entre o vendedor e a autoridade fiscal alemã arrastou-se por um ano, segundo o diário financeiro alemão Handelsblatt, que também escreveu sobre esta pen milionária.

Contactada pelo The Guardian, uma porta-voz do fisco Renânia do Norte-Vestfália não confirmou o valor pago. Mas confirmou que é comum o fisco receber “muitas ofertas de dados”. “Faz parte do nosso trabalho, e quando a informação é útil, compramo-la. Só compramos informações que são importantes para nós, para que exista uma maior justiça na cobrança de impostos”, afirmou a porta-voz.

Só este estado do Norte-Vestfália já recuperou recentemente mais de dois mil milhões de euros em impostos em falta e coimas, acrescenta a Der Spiegel. Além disso, cerca de 120 mil alemães já terão vindo confessar irregularidades, tentando evitar penas mais duras. Penas que podem incluir prisão, como ficou publicamente demonstrado com a pena de três anos e meio de prisão aplicada a um conhecido jogador de futebol e presidente do Bayern Munich, Uli Hoeness.