O filme marroquino “Much Loved” estreou no último Festival de Cannes mas continua a gerar controvérsia. A obra cinematográfica conta a história da prostituição em Marrakech e, por isso, existem algumas cenas que são, no mínimo, escaldantes. E tanto calor é demais, pelo menos para o governo marroquino que já proibiu o filme no país.

Mas o alvo principal da revolta tem sido a protagonista Lubna Abidar. A atriz terá mesmo sido agredida no meio da rua. Num vídeo publicado no Facebook, Abidar conta que foi “agredida em Casablanca”, e acrescenta: “As clínicas não me quiseram atender, bem como as esquadras. Quando fui, à noite, à esquadra da Polícia de Casablanca, toda a gente se riu de mim e disseram-me: ‘Finalmente agrediram Abidar'”. Para além do vídeo a atriz publicou ainda uma fotografia onde se vê os ferimentos que resultaram da agressão. O jornal espanhol El Confidencial conta que a polícia já desmentiu, entretanto, a versão de Abidar.

abidar facebook

FACEBOOK/ LUBNA ABIDAR

Depois deste incidente, a atriz de 30 anos decidiu mesmo abandonar Marrocos e mudar-se para França. Lá, e em declarações ao Le Monde, referiu que a “atacam pela personagem de um filme que não viram”. “Está em marcha uma campanha de denegrição legitimada pela proibição do filme, alimentada pelos conservadores e pelas redes sociais (…) No fundo, insultam-me porque sou uma mulher livre”, acrescentou, reforçando que Marrocos prefere continuar a negar a existência da prostituição.

Desde a estreia de “Much Loved” que a campanha contra o mesmo filme não para. A obra retrata a história de quatro prostitutas que refletem sobre a sua profissão enquanto se dirigem para uma festa de aniversário de um sheik saudita. Quase de imediato começaram a surgir insultos nas redes sociais, que depois se transformaram numa manifestação em frente ao Parlamento, culminando com a proibição da obra e as agressões e fuga da protagonista.

Para os mais curiosos aqui fica o trailer do filme que está a incendiar Marrocos (dobrado em italiano):