Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Ele dispensa apresentações. Psy é o autor da primeira música a ultrapassar os mil milhões de visualizações no YouTube (obrigando a Google a alterar o sistema de contabilização de plays), a única a ultrapassar o sucesso de “Baby” de Justin Bieber, a entrar no livro do Guinness como o vídeo com mais “gostos” do Youtube e uma das poucas desde os anos 90 que pôs as discotecas do mundo inteiro a dançar a mesma coreografia.

“Gangnam Style” esteve em primeiro lugar no top de músicas em trinta países no final de 2012, quatro meses depois de se tornar viral na Internet. Quase ninguém compreendia a letra da canção e mesmo assim todas a sabiam de cor. A ela e à dança do cavalo invisível com “sexy lady” à mistura. No ano seguinte, “Gentleman” mereceu a atenção do público, mas não a sua paixão incondicional.

Mas Psy já tinha um lugar marcado nos auriculares de todo o mundo. E agora vem retomá-lo – ou pelo menos vai ver se consegue. A nova canção do cantor sul-coreano chama-se “Daddy” e a letra baseia-se toda numa só ideia: todos os atributos do artista foram herdados do pai. Os atributos em causa é que não são claros. Mas pouco importa: a nova canção de Psy tem videoclip, uma dança potencialmente viral, provavelmente lugar cativo na próxima passagem de ano e um frase que fica na cabeça: “I got it from my daddy”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A ideia é-lhe familiar? É preciso recuar oito anos e encontrarmo-nos com os êxitos de will.i.am, membro dos Black Eyed Peas, para descobrir as raízes desta música. Talvez se lembre da praia paradisíaca onde o cantor norte-americano se encontra com mulheres de corpo escultural e quer saber onde é que elas foram buscar tanto estilo. A resposta das raparigas: “I got it from my mama”. E fica tudo explicado: está tudo nos genes.

A pergunta que se impõe é se o sucesso de Gangnam Style também está nos genes do novo hit de Psy. Depois de tantas visualizações gloriosas da canção sobre o estilo de vida de Seoul, Psy tem o desafio – e talvez a responsabilidade – de não desiludir os amantes da cultura pop sul-coreana (K-pop).

Caso fique para sempre dependente de Gangnam Style para que seja notado, Psy não será caso único do mundo das artes musicais: Vanilla Ice é um rapper cuja carreira ficou “congelada” no êxito “Ice Ice Baby”: consegue dizer o nome de mais alguma das suas músicas? De resto, apostamos que sabe a coreografia toda de “Macarena”, mas não se lembra de mais nenhuma canção dos Los Del Rio.