O vulcão Momotombo, na margem norte do lago Manágua da Nicarágua, entrou em erupção no dia 1 de dezembro de manhã (hora local). Há já algumas semanas que a população sentia a terra tremer e via fumo sair do topo do vulcão, até que, esta terça-feira, o vulcão entrou em erupção pela primeira vez nos últimos 110 anos, noticiou a Wired.

Sendo um vulcão do tipo estromboliano, as erupções são moderadamente explosivas – neste caso quatro pequenas explosões entre as 7h49 e 8h55 (hora local, menos seis horas que em Lisboa), como referiu o site Vulcano Discovery. E, como é típico para estes vulcões, originou um jacto de cinzas – que neste caso chegou a um quilómetro de altura – e uma corrente de lava a escorrer por um dos flancos do cone do vulcão.

Apesar de não ter acontecido nenhuma erupção nos últimos 110 anos, o vulcão não estava propriamente adormecido. Entre 2003 e 2011, foram registados vários sismos que podem indicar o movimento do magma (lava) por baixo do vulcão. E em 2007, foi registado um aumento da temperatura no sistema hidrotérmico.

Até 1905, Momotombo era um dos vulcões mais ativos da Nicarágua: 10 erupções registadas entre 1849 e 1905, 16 erupções desde 1524. Em 1605, uma grande erupção destruiu a então capital da região, Leon Viejo. Mas neste momento, embora as escolas estejam fechadas por precaução, não se prevê que as populações corram qualquer risco.

Os vulcões Fuego e Santiaguito na Guatemala estão com uma atividade moderada e o vulcão Telica na Nicarágua também já esteve em atividade este ano, mas não se prevê que estas erupções estejam relacionadas umas com as outras. A única semelhança é que estão todos colocados sobre a placa tectónica Cocos, uma placa que tem estado a afundar-se gradualmente por baixo da placa das Caraíbas (subducção).